Fraude no leite: Indústrias não devem sofrer ação judicial
CI
Agronegócio

Fraude no leite: Indústrias não devem sofrer ação judicial

Ministério Público deve apenas fixar multa e propor TAC
Por: -Leonardo Gottems


Uma dúvida ainda não foi totalmente esclarecida no escândalo: por que o leite adulterado passou pelo controle das indústrias? Qual é a parcela de culpa dessas empresas que venderam um produto contaminado?

Pois a questão parece não ser o ponto mais preocupante na opinião do Ministério Público. Isso a julgar pela informação de que as empresas – mesmo que tenham vendido leite misturado com água de poço e ureia – não devem sofrer ação judicial.

De acordo com o promotor da área de Defesa do Consumidor do Ministério Público, Alcindo Luz Bastos Filho, está praticamente descartada a possibilidade de processos contra as indústrias. Elas deverão apenas comprometer-se em cumprir regras mais criteriosas de controle, fiscalização e análise.


“Será fixada ainda uma multa pelo prejuízo que possa ter sido causado por uma fiscalização falha. O TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) vai prever multas também em caso de descumprimento”, adianta Alcindo.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.