Frigorífico diz que confinamento é saída na entressafra

Agronegócio

Frigorífico diz que confinamento é saída na entressafra

Bertin não explicou a afirmação de Leôncio a respeito da liberação de recursos facilitados ou liberação
Por:
1 acessos

O presidente da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), Leôncio Brito, levantou a bandeira dos confinamentos feitos pelas indústrias frigoríficas, que produzem gado nas suas propriedades, com recursos facilitados ou supostamente liberados pelo BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Sustentável).

O presidente do frigorífico Bertin, Fernando Antônio Bertin, explicou que a decisão de confinar gado foi apenas para suprir a falta de bois no período da entressafra. “O negócio do frigorífico é abater o boi e buscar novos mercados, fizemos o confinamento em Goiás pela necessidade do produto que chegou a 50%”.

Bertin explicou que isso não foi feito em Mato Grosso do Sul porque eles não perceberam necessidade de comprar gado no na entressafra, mas criticou a elevada carga tributária do Estado. Bertin não explicou a afirmação de Leôncio a respeito da liberação de recursos facilitados ou liberação através do BNDES.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink