Genética proporciona cevada resistente à ferrugem
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,632 (-1,41%)
| Dólar (compra) R$ 5,51 (-1,34%)

Imagem: Fernando Dias/Seapdr

ESTUDO

Genética proporciona cevada resistente à ferrugem

Foram usados genes do trigo
Por: -Leonardo Gottems
284 acessos

Em um avanço que poderia levar a um uso mais amplo de genes de resistência de parentes selvagens de culturas de elite, a equipe do John Innes Center (JIC) usou técnicas de modificação genética (OGM) para fortalecer as plantas de cevada com genes que demonstraram ter atividade defensiva no trigo. Os pesquisadores veem a pesquisa como um modelo para esforços futuros para proteger as plantações contra a crescente ameaça de fungos patogênicos virulentos. 

Em contraste com o trigo, onde 82 genes de resistência à ferrugem do colmo foram encontrados, apenas 10 foram descobertos na cevada. Os esforços de pesquisa para transferir essa resistência genética de um membro comercialmente valioso da família das gramíneas para outro por meio do cruzamento tradicional não tiveram sucesso. 

Neste novo experimento, os pesquisadores do grupo do Dr. Brande Wulff usaram plantas de cevada transgênicas para testar a funcionalidade de quatro genes clonados da ferrugem do caule do trigo. Este estudo publicado na revista Plant Biotechnology revelou que as plantas transgênicas de cevada pareciam mais resistentes à ferrugem do que as plantas de cevada com genes de resistência endógena que evoluíram dentro da cultura. 

“Mostramos que os genes de resistência à ferrugem do caule do trigo funcionam na cevada, algo que não foi alcançado por meio de cruzamentos amplos entre parentes de gramíneas. Como agora sabemos que os genes de resistência do trigo funcionam na cevada, é provável que a resistência da cevada também funcione no trigo, que é uma cultura muito maior e mais importante. Portanto, isso poderia expandir o pool de genes de resistência disponíveis para o trigo desenvolver resistência às suas principais doenças”, diz o Dr. Asyraf Hatta, primeiro autor do estudo. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink