Agronegócio

Governo estima crescimento de 9,6% no VBP em 2013

Estudos avaliam um faturamento de R$ 416,98 bilhões
Por:
955 acessos
A colheita nas lavouras está chegando ao fim e estudos prévios avaliam um faturamento de R$ 416,98 bilhões em 2013, o que representa uma receita de 9,6% em comparação ao ano de 2012. Esse montante representa o faturamento das principais lavouras e da pecuária.


De acordo com o coordenador de Planejamento Estratégico do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), José Garcia Gasques, os resultados anunciados devem sofrer pequena alteração até o final do ano, já que apenas algumas lavouras de inverno como de trigo, aveia, centeio e cevada estão na fase de colheita. “A safra 2012/2013 está quase encerrada”, salientou. 

O valor da produção das lavouras deverá somar R$ 276,44 bilhões em 2013. Se comparado a 2012, o crescimento é de 9%. “Grande parte das lavouras tem apresentado bom desempenho este ano, seja devido a preços melhores ou a produções mais elevadas que em 2012. O valor obtido pelo estudo representa 66,3% da renda total da agropecuária”, disse Gasques. 


Os melhores desempenhos nas lavouras são do tomate, com aumento de 88,8%; da batata-inglesa, crescimento de 47,3%; da laranja, 32,9% e da soja, 19%. Em níveis mais baixos de aumento do VBP encontram-se o arroz, com elevação de 10,6%; a banana, 11,9%; o feijão, 7%; o fumo, 14,7%; o milho, 8% e o trigo, com aumento de 14,3%. A pior atuação neste ano vem sendo observado no algodão que apresenta 30,3% de queda e no café, 29,1%. 

A pecuária deve obter um faturamento de R$ 140,57 bilhões, que corresponde a
33,7 % do valor bruto da produção neste ano, ou seja, 10,8 % a mais que no ano passado. A carne do frango lidera a lista de expansão com 23,3% de alta no VBP. Os ovos e os suínos também se destacam, com acréscimo no VBP respectivamente de 13,6% e 12,7%. O menor desempenho é da carne de bovinos, com 1,9% de aumento. 


Todas as regiões devem apresentar aumento em 2013. O Norte pode expressar alta de 4,5%, o Nordeste, 8,8%, e o Centro-Oeste, 25,2%. Já o Sudeste e o Sul podem ter elevação de 27,1% e 27,8%, respectivamente. A região Norte é a única onde o VBP da pecuária é maior do que o das lavouras. 

Na opinião de Gasques, os produtos das lavouras, especialmente os grãos, como também as frutas, o fumo, a batata-inglesa e o tomate foram essenciais na determinação da renda no país. “O bom desempenho dos produtos neste ano fez com que as regiões fossem muito beneficiadas”, ressaltou.


Clique aqui para baixar as tabelas do VBP de setembro.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink