Governo investe R$ 1,5 milhão no combate à ferrugem

Agronegócio

Governo investe R$ 1,5 milhão no combate à ferrugem

Por:
4 acessos

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento investiu R$ 1,5 milhão na Campanha Nacional de Conscientização contra a Ferrugem da Soja para informar produtores e treinar pesquisadores sobre a forma correta de combater a doença nas principais regiões produtoras do país. “Sessenta e oito pesquisadores participaram do programa, multiplicando as informações para outros mil técnicos em todo o país. Nosso principal objetivo é conscientizar os produtores”, diz o coordenador de Proteção de Plantas da Secretaria de Defesa Agropecuária, José Geraldo Baldini.

Segundo o coordenador, os efeitos do programa puderam ser dimensionados nesta safra. “Em Barreiras, no interior da Bahia, por exemplo, os produtores seguiram as instruções apontadas pelas pesquisas e, neste ano, a praga não foi detectada em locais onde havia se manifestado em 2003”, diz Baldini.

Além disso, o governo federal realizou outra importante ação de combate à ferrugem da soja neste ano: a criação do Consórcio Anti-Ferrugem. “O consórcio consiste em incentivar a pesquisa e trocar informações sobre a ferrugem”, explica o coordenador. Segundo ele, foram investidos US$ 7 milhões pelo Ministério da Agricultura e a iniciativa privada na criação e manutenção do consórcio.

Mesmo consciente sobre os danos provocados pela ferrugem, Baldini afirma estar satisfeito com o combate à ferrugem. “Quando a praga se instalou no país, não tínhamos nenhum defensivo registrado para seu controle. Hoje, já temos 19 produtos registrados pelo ministério. Também acumulamos muita informação sobre a doença, que compartilhamos com o Mercosul. Até técnicos dos EUA vieram ver o que estávamos fazendo para controlar a ferrugem”, relata.

Projeções:

Na safra 2002/2003, a ferrugem da soja deu um prejuízo de mais de US$ 1 bilhão ao país. Na colheita passada, as perdas dobraram. Na atual safra, ainda não foram calculados os eventuais impactos financeiros provocados pela praga. Entretanto, técnicos e produtores dão como certa a perda de lucratividade devido aos altos custos da produção causados pelo uso intensivo de defensivos específicos para combater a doença.

Para 2005, os programas devem ganhar uma ajuda extra do Fundo Setorial do Agronegócio (CT-Agro). O secretário de Inclusão Social do Ministério da Ciência e Tecnologia, Rodrigo Rollemberg, já anunciou um reforço financeiro ao combate da ferrugem. O comitê gestor do CT-Agro, presidido por Rollemberg, deve destinar parte de seu orçamento de R$ 31 milhões para ações de combate à doença. Os recursos do CT-Agro têm origem em 17,5% da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE), cuja arrecadação vem da incidência de alíquota de 10% sobre a remessa de recursos ao exterior para pagamento de assistência técnica, royalties, serviços técnicos especializados ou profissionais.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink