Governo não tem pressa de vender café de 2009, diz Bertone

Agronegócio

Governo não tem pressa de vender café de 2009, diz Bertone

Com um volume de 1,55 milhão de sacas, safra é considerada de ótima qualidade
Por:
1110 acessos
Não há uma data para o governo brasileiro iniciar as vendas do café comprado em 2009 por meio de contratos de opções, afirmou nesta terça-feira o secretário de Produção e Bionergia do Ministério da Agricultura, Manoel Bertone.

"A gente não tem pressa", declarou Bertone a jornalistas, antes do 4o Fórum & Coffee Dinner, promovido pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

O café de 2009, em um volume de 1,55 milhão de sacas, é considerado de ótima qualidade, assegurou Bertone, e poderia dar algum alívio para um mercado com escassez de bons produtos.

De qualquer forma, o secretário observou que o café será vendido no momento mais oportuno. "Vamos colocar (no mercado), não vamos ficar guardando café", comentou, referindo-se a uma estratégia utilizada em governos anteriores.

Questionado se o governo aguardaria melhores preços para vender o café, Bertone indicou que esse não é o objetivo. Ele disse somente que a política governamental visa estabilizar o mercado.

O Brasil está iniciando atualmente a colheita de café arábica nas principais regiões produtoras.

"A lógica é nós colocarmos volumes modestos (para vendas) ao longo da safra, no auge vai ser volume menor", comentou sobre a intenção do governo, que normalmente evita vender produtos de seus estoques durante a safra para não pressionar os preços.

Embora não exista uma decisão sobre a venda do café de 2009, quando o governo entrou no mercado para sustentar os preços, que estavam pressionados, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) tem feito leilões de venda de cafés mais antigos dos estoques públicos.


Porém, com preços considerados altos pelo mercado, os pequenos volumes ofertados nos leilões da estatal têm tido pequena procura.

Desde janeiro, o governo comercializou cerca de 40 mil sacas de seu café.

O governo tem ainda em seus estoques, além das 1,55 milhão de sacas das opções de 2009, 90 mil sacas das compras feitas na safra 2002/2003 e 450 mil sacas de grãos da década de 80.

"Esse (café mais antigo), estamos colocando à venda toda a semana", lembrou. "Mas não estamos colocando barato," admitiu.

Os cafés da década de 80 estão sendo ofertados a 220 reais por saca, enquanto o café de 2002/03, a 400 reais. No mercado, o café de boa qualidade está sendo cotado em torno de 500 reais por saca.

Quando começou a vender o café de 02/03, o governo havia ofertado a um preço de 460 reais por saca, que não gerou interesse.

Segundo Bertone, o café de 2009 só será colocado à venda após o governo esgotar o lote de 2002/03.

Questionado sobre o tamanho da nova safra, ele limitou-se a dizer que "espera que seja uma boa safra de ciclo baixo" do arábica.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink