Agronegócio

Governo recua e mantém em 2,5% ICMS de colheitadeiras, tratores em MT

Governo do Estado fixa a alíquota do ICMS nas entradas de máquinas e implementos agrícolas no Estado, em 2,5% a partir de 1º de outubro
Por:
1162 acessos
O Governo do Estado recuou e atendeu a cobrança da Federação da Agricultura de Mato Grosso que fixou a alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), nas entradas de máquinas e implementos agrícolas no Estado, em 2,5% a partir de 1º de outubro. O Estado queria elegar o imposto para 5,6%, o que representaria o dobro a ser pago por fazendeiros e pecuaristas que comprarem tratores, colheitadeiras, pulverizadores e outros maquinários.


"Nos empenhamos para resolver esta questão e garantir a melhor alíquota possível ao produtor rural. A Famato reitera sua posição contrária a qualquer aumento na carga tributária do Estado. O Governo do Estado entendeu que a insistência nesse aumento seria um desgaste desnecessário", destaca o presidente da Famato, Rui Prado.


A Famato orientou os produtores, através da assessoria, "que fiquem atentos quanto a alíquota cobrada a partir de 1º de outubro, que não poderá ser superior a 2,5%" e disponibilizou contato com o Núcleo Técnico da federação para tirar dúvidas.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink