Grão sustentará crescimento de carnes na década
CI
Agronegócio

Grão sustentará crescimento de carnes na década

Aumento na produção exigirá evolução paralela entre segmentos
Por:
Aumento na produção exigirá evolução paralela entre segmentos

Crescimento na produção brasileira de grãos na próxima década - em termos percentuais acima de 20% para atender a demanda mundial por alimentos - dará suporte para impulsionar também a cadeia da carne. Com a oferta maior será possível disponibilizar mais matéria-prima para a fabricação de alimentos voltados aos bovinos, suínos e aves. Isto porque na maior parte das vezes as commodities servem como item básico para a fabricação de rações como as consumidas por aves e suínos.

Para os especialistas, um segmento deve crescer simultaneamente ao outro. Em Cuiabá (MT), onde participou do  Congresso Brasileiro da Soja, o secretário de Desenvolvimento Agropecuário do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Erikson Chandora, destacou que o equilíbrio deve marcar o crescimento das cadeias.

A projeção do Mapa mostra que até o ano de 2022 a produção dos gêneros deve somar mais de 185.606 milhões de toneladas, ou 21,1% a mais que o atual, na ordem de 153.269 milhões de toneladas.

Segundo a estimativa do governo, a produção de soja deve evoluir 25,1% na década, de milho 18,1%, trigo 22,1%, arroz 15,4% e o feijão 12,8%.

Ao mesmo tempo, em dez anos a produção de frango deve expandir 56%. Passar de 13 milhões de toneladas para 20 milhões de toneladas. De bovinos, 32,3% ou de 8,9 milhões de toneladas para 11,8 milhões de toneladas. Quando avaliado de maneira geral, o complexo carne deve crescer 43,2% e até o ano de 2022 e chegar a casa de 38,2 milhões de toneladas.

"A produção de alimentos depende da produção de grãos", cita Erikson Chandora.

Para o pesquisador Décio Gazzoni, da Embrapa Soja, a expansão dos grãos deverá ser aproveitada principalmente pelas aves e suínos. Uma das únicas exceções é a bovinocultura, uma vez que no Brasil a maior parcela dos animais ainda é criada em pastos.

"Grande parte do crescimento de milho e soja se deve ao aumento da demanda por carnes. Uma cadeia depende da outra. Para crescer em carnes será preciso crescer grãos, com exceção do boi. O restante existe uma relação linear de 60% a 65% usado para rações animais", expressou.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink