Gripe de aves nos Estados Unidos tem baixo risco
CI
Agronegócio

Gripe de aves nos Estados Unidos tem baixo risco

Por:

A Comissão Européia (CE) considera que a variante da gripe de aves detectada nos Estados Unidos "não é perigosa", informou a porta-voz de Saúde da União Européia (UE), Beate Gminder. A doença detectada no fim de semana em Delawere (EUA) não apresenta muitos riscos e que infecções com essas características são comuns e não apresentam grandes problemas.

A UE não está importando carne de ave nem produtos avícolas para consumo humano dos EUA, mas compra os chamados "frangos de um dia" e ovos para incubar. As normas internacionais sobre saúde animal estabelece que, se uma epizootia detectada em um país for considerada de "baixo risco patogênico", não é necessária a notificação. Isso é exatamente o que ocorre com o vírus da gripe de aves, segundo Gminder.

As autoridades de Delawere informaram sábado sobre a imposição de uma quarentena e o sacrifício de 12.000 frangos quando foi detectada uma variante do vírus da "gripe do frango", que já causou a morte de 19 pessoas na Tailândia e no Vietnã.

O governo dos Estados Unidos informou que o surto diz respeito a um variante da gripe do frango conhecida como H7, sem risco à saúde humana. O vírus mortal, que atua na Ásia, chama-se H5N1.

Novo caso

Mais uma pessoa morreu ontem vítima da chamada gripe de aves. Com esse novo caso, o número de vítimas fatais chega a 19 com a morte de outro vietnamita. São 14 pessoas no Vietnã e cinco na Tailândia. O sacrifício em massa de aves doentes e expostas à epidemia nos dez territórios asiáticos afetados continua. No Vietnã, 15 milhões de aves já foram infectadas e sacrificadas. Na vizinha Tailândia, o quarto maior vendedor do mundo de frango congelado, mais 26 milhões foram infectadas.

Fontes do Instituto Pasteur da cidade de Ho Chi Minh informaram que a vítima fatal tinha 27 anos. Há outra pessoa infectada pelo vírus, além de três outras em tratamento e dois que receberam alta. O estado deste homem que se infectou, de 30 anos é estável.

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) calcula que para controlar a epizootia na Ásia será necessário sacrificar pelo menos 50 milhões de aves.

China sob suspeita

Cientistas da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Organização para a Agricultura e a Alimentação das Nações Unidas (FAO) estão visitando a província de Jiangxi, onde buscarão corroborar a declaração da China de que nenhuma pessoa no país contraiu o vírus de gripe de aves H5N1. A agência confirmou 23 casos humanos no Vietnã e Tailândia. "A OMS acha possível haver casos humanos (na China), dada a extensão dos surtos", disse Dr. Henk Bekedam, o representante da agência da Organização das Unidas (ONU) na China, em um anúncio. A equipe das duas agências da ONU treinarão também altos funcionários locais em Jiangxi, onde um surto foi confirmado no sábado, nos métodos de separar os frangos.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink