Há chance da soja voltar aos preços do ano passado?

ANÁLISE

Há chance da soja voltar aos preços do ano passado?

Agricultores brasileiros, por seu lado, não estão satisfeitos com os preços oferecidos pelo mercado
Por: -Leonardo Gottems
3578 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, por enquanto o nível possível para a soja, tanto agora quanto no horizonte, é de R$ 75,00/saca. “Para que subisse mais do que isto precisaria que [a guerra comercial] terminasse em ruptura, isto é, nenhum acordo entre chineses e americanos, o que é pouco provável”, explica o analista Luiz Fernando Pacheco. 

“Os chineses vão ceder o mínimo, mas terão que ceder, então os níveis dos preços não terão apoio deste lado. Por um lado, Chicago vai subir, mas, em compensação, os prêmios nos portos brasileiros cairão ainda mais (já passaram de 270 para os atuais 60 pontos)”, sustenta o especialista.

Segundo ele, também precisaria que a cotação do dólar subisse, o que é pouco provável: “A menos que haja um problema grave no Brasil ou na economia mundial. Ou que a próxima safra americana sofresse problemas climáticos. Mas, não se pode contar com isso, até porque as decisões que os brasileiros terão que tomar ocorrerão antes de que qualquer dessas hipóteses ocorram. O que há de concreto é que os preços atuais contém um lucro de 15%”.

“Os agricultores brasileiros, por seu lado, não estão satisfeitos com os preços oferecidos pelo mercado, ao redor de R$ 73-74,00/saca no Sul, R$ 70,00 no Centro-Oeste e R$ 66,00 no Norte e na Bahia. Querem no mínimo R$ 80,00 no Sul, R$ 75,00 no Centro-Oeste e R$ 72,00 no Norte. Esses são ‘preços da saudade’, ocorridos no ano passado, quando havia um componente que não haverá mais: dólar alto, que atingiu R$ 4,20. O novo governo parece que está tomando conta da situação, sem que a oposição possa ter um mínimo da reação que se esperava que tivesse, pois está totalmente desacreditada junto à população, mais por seus próprios erros do que por erros do governo. Com isto, o dólar não sobe”, conclui Pacheco.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink