Hortitec 2009 lança novidades no segmento

Agronegócio

Hortitec 2009 lança novidades no segmento

Desenvolvimento de variedades mais nutritivas e coloridas visa aumentar o consumo desses itens
Por:
373 acessos

O aumento da produtividade no campo e o desenvolvimento de variedades mais coloridas e nutritivas são fatores importantes para a promoção do consumo no setor de hortifrúti. São novidades nesta linha que foram apresentadas aos produtores rurais na 16ª Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas — Hortitec 2009 —, realizada na semana passada em Holambra, na região de Campinas. O esforço tem como objetivo ampliar a conscientização da população para a importância do consumo de hortifrútis no Brasil, que hoje está bem abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com a OMS, o ideal é que o consumo seja de 400 gramas de produtos hortifrúti — considerando frutas, verduras e legumes — por dia. No Brasil, o consumo atual é de 132 gramas por pessoa por dia, segundo dados da Associação Brasileira de Horticultura, indicando a necessidade de se triplicar o nível atual.

Este aumento também é considerado o eixo da promoção de saúde e segurança alimentar e nutricional e reforçou o otimismo na Hortitec, que foi criada com a finalidade de reunir a cadeira do segmento para discutir os novos desafios, mostrar tudo o que há de novo neste mercado e estimular capacitação e bons negócios para a produção de flores e plantas, frutas, hortaliças, florestais e demais culturas intensivas.

De acordo com Renato Opitz, um dos responsáveis pela organização do evento, não é de um dia para outro que as mudanças vão ocorrer, mas há um movimento crescente de consumo de alimentos saudáveis no Brasil. "A nova geração já está comendo mais itens hortifrúti. E com isso, muda-se a cultura. Imagino que em 10 ou 15 anos o consumo já estará muito maior", diz, explicando que existem movimentos de conscientização da nova geração, inclusive em campanhas feitas nas escolas.

Outro fator que orienta este mercado é a própria demanda atual. A Hortitec apresenta as novidades para um setor do agronegócio que, por características específicas, tem oscilado pouco frente à crise. "Outros eventos na área não tiveram bons resultados neste ano. Já a Hortitec superou nossas expectativas, apontando que os hortifrútis vão bem. Isso porque é sustentado pelo mercado interno, onde a demanda continua forte. E para o produtor, isso é importante também."

Opitz comenta que um dos avanços nesta área refere-se aos lançamentos de variedades e tecnologias que permitem a produção o ano todo, facilitando o consumo de determinados produtos, antes encontrados somente em alguns meses do ano. Isso evita a valorização nos períodos de entressafra, o que faz com que a população deixe de consumir, e remunera o produtor durante todos os meses do ano.

"Com o desenvolvimento genético é possível ter variedades mais precoces ou mais tardias. E as estufas criam as condições climáticas ideais para cada estação do ano."

Além do trabalho de conscientização das novas gerações sobre a alimentação saudável, Opitz destaca outro fator importante neste cenário de incentivo ao aumento do consumo de produtos hortifrútis: a apresentação dos produtos no ponto de venda.

"Houve uma melhoria muito grande neste aspecto para a apresentação dos produtos. A área reservada às frutas, verduras e legumes estão bem iluminadas e com bons produtos. Há uma exigência para que o produtor também apresente bem o produto e até mesmo agregue valor, fazendo processamento de determinados produtos" , conta.

Neste ponto há um benefício ainda maior para o consumidor, já que um produto bem apresentado, em embalagens adequadas, também apresenta maior durabilidade. "Por isso é importante também a tecnologia para os produtos, para o pós-colheita e para as embalagens. Tudo é praticidade e comodidade para se comer bem."

Atualmente são produzidas no Brasil 17,5 milhões de hortaliças por ano, que geram US$ 5 bilhões na ponta do consumo. A fruticultura tem no Brasil o maior produtor mundial, com 43 milhões de toneladas de frutas tropicais, subtropicais e de clima temperado por ano.

Minimelancia e alface ‘crocante’ atraem produtores

Novas sementes são a aposta da Sakama; apelo infantil é forte, já que criança gosta de alimentos coloridos e pequenos

Entre os lançamentos para o setor de hortifrúfi apresentados na 16ª Hortitec estão novidades em sementes de produtos com formatos diferentes, ou mais coloridos, ou com propriedades que concentram maior índice de vitaminas, entre outros. Também foram colocadas no mercado brasileiro opções de máquinas para embalar os produtos que garantem melhor apresentação e ganhos extras aos produtores.

A Sementes Sakama, empresa que importa e distribui, trouxe para o mercado nacional diversas novidades de legumes e verduras em miniatura, com a da minimelancia, com peso que varia entre 1,5 a 2,2 quilos. "A vantagem dessa fruta fica por conta do tamanho mesmo, já que o consumidor não encontra problemas para guardar o produto. Pode cortá-la e consumi-la imediatamente. É um produto para uma ou duas pessoas, com casca bem fina e uma textura crocante e mais doce", conta Regina Suda, engenheira agrônoma da empresa.

A semente da minimelancia já está disponível para os produtores rurais e a fruta deverá ser colhida nos próximos 90 dias, se for semeada nestes próximos dias. "Acho que a Sakama contribui para ampliar o aumento de hortifrúti no Brasil, pois quando se põe cor numa salada, se melhora o sabor e a textura dos alimentos, aumentamos o consumo, especialmente entre as crianças, que gostam de alimentos coloridos e atraentes. E isso tudo vem acompanhado de produtos mais nutritivos" , diz.

Outra novidade da empresa é a alface Red Frizzly Intensive, uma variedade de alface crocante só que num modelo de alface crespa. A folha está disponível nas cores verde e roxa e as sementes também estão sendo vendidas aos produtores.

"E é uma variedade que pode ser produzida em todo o Brasil, pois se adapta muito bem. Além disso, o que agrada bastante é que é uma alface que tem maior durabilidade depois de colhida. Pode ser higienizada e embalada para ser guardada. Até mesmo depois de temperada fica com uma aparência bonita por mais tempo, diferente de outras que murcham rapidamente."

Em relação à embalagem, a Agrosystem, empresa com sede em Ribeirão Preto, trouxe para a Hortitec novos modelos e máquinas pesadoras e embaladoras para frutas e legumes, adequadas para todos os portes de produção.

"A embalagem é importante porque agrega valor ao produto, que fica valorizado por conta do visual. Também é mais higiênico, pois evita a manipulação por diversas pessoas, já que a máquina pesa e embala, além de ser uma forma de o produtor atrelar a sua marca à mercadoria", diz Silvio Gáspari Júnior, gerente da unidade de negócios de máquinas da empresa.

O rendimento para o produtor também aumenta, já que há uma precisão maior na pesagem. "E também porque elimina o atravessador e pode fornecer diretopara o ponto de venda, o que significa um ganho até 40% maior."


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink