IBGE aponta crescimento da safra de 3% em relação a 2005

Agronegócio

IBGE aponta crescimento da safra de 3% em relação a 2005

A estimativa de produção para a safra atingiu 115,9 milhões de toneladas
Por: -Assessoria de Imprensa
2 acessos

Em novembro, a estimativa de produção para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas (caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale) atingiu 115,9 milhões de toneladas, com recuo de 0,2% em relação a outubro (116,2 milhões de toneladas) e crescimento de 3,0% no confronto com o ano anterior (112,6 milhões de toneladas).

Destaques da estimativa de novembro em relação a outubro

No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de novembro destacam-se as variações nas estimativas de produção, comparativamente ao mês de outubro, de cinco produtos: aveia em grão (-8,8%), cevada em grão (-6,1%), mamona (-2,1%), trigo em grão (-1,1%) e triticale em grão (-6,1%).

Em relação às lavouras de inverno (aveia, cevada, trigo e triticale), cujos cultivos concentram-se, predominantemente, nos estados da região Sul do país, as retrações constatadas no mês devem-se aos problemas relatados no Paraná. Nesse estado, as condições meteorológicas não foram favoráveis a essas culturas. Por ocasião da implantação e desenvolvimento inicial das lavouras, a falta de chuvas causou prejuízos. Entretanto, as geadas ocorridas no final de agosto e início de setembro foram determinantes para as quedas contabilizadas até o momento.

No tocante à mamona, a variação negativa observada na estimativa do mês é de 2,1%. Os estados do Piauí e Pernambuco, que apresentaram decréscimos de 13,3% e 4,4%, respectivamente, informam que os resultados vinculam-se a condições climáticas adversas (escassez de chuvas), além da falta de manejo adequado. Para o estado do Ceará, o decréscimo de 12,5% na produção de mamona é reflexo da menor área cultivada, face aos baixos preços ofertados e insegurança na comercialização do produto.

Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas

O levantamento de campo realizado pelo Sistema GCEA1 para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas, em novembro, aponta uma produção da ordem de 115,9 milhões de toneladas, 0,2% inferior à prevista em outubro (116,2 milhões de toneladas) e 3,0% superior à obtida em 2005 (112,6 milhões de toneladas).

O milho e a soja, com cerca de 80% de participação na produção nacional de grãos, apresentam, em valores absolutos, os maiores ganhos de produção, superando a safra anterior: milho em grão 1ª safra, 4.260.465 t (15,7%), milho em grão 2ª safra, 2.695.626 t (33,9%) e soja em grão, 1.085.534 t (2,1%).

Os produtos da safra de verão estão com a colheita encerrada nos grandes centros produtores de grãos. Encontram-se em fase final de colheita as culturas de inverno, notadamente a do trigo no Paraná (região sul e parte da sudoeste do estado) e Rio Grande do Sul, principais produtores. Para esse produto, a menor produção esperada nesta safra deve-se à retração na área plantada, que ocorreu em razão dos baixos preços alcançados nas últimas safras e da difícil comercialização (concorrência com o produto importado, tanto do grão como da farinha). Aliadas a esses fatores econômicos, as más condições climáticas enfrentadas desde o início do plantio, como a falta de chuvas e as altas temperaturas no começo do inverno, além das geadas (agosto/setembro), determinaram a significativa perda no rendimento médio (-25,5%) e, também, perdas de áreas em algumas regiões produtoras (em torno de 200.000 hectares). Com isso, a produção estimada de 2.238,5 mil toneladas de trigo mostra expressiva redução de 51,9%, comparativamente à safra anterior, sendo a menor das últimas cinco safras.

Em termos absolutos, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas está assim distribuída pelas grandes regiões: Sul, 48,1 milhões de toneladas; Centro-Oeste, 39,1 milhões de toneladas; Sudeste, 15,8 milhões de toneladas, Nordeste, 9,6 milhões de toneladas e Norte, 3,3 milhões de toneladas.

Estimativa de novembro de 2006 em relação à safra 2005

O IBGE realizou, em novembro, a 11ª avaliação, em nível nacional, da safra agrícola de 2006. Dentre os principais produtos investigados pelo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - LSPA, 13 apresentam variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: batata-inglesa 2ª safra (7,7%), batata-inglesa 3ª safra (3,3%), café em grão (21,6%), cana-de-açúcar (7,9%), cebola (5,9%), feijão em grão 1ª safra (11,3%), feijão em grão 2ª safra (26,3%), laranja (1,1%), mandioca (6,6%), milho em grão 1ª safra (15,7%), milho em grão 2ª safra (33,9%), soja em grão (2,1%) e sorgo em grão (1,2%).

A variação é negativa nos casos das culturas de algodão herbáceo em caroço (23,7%), amendoim em casca 1ª safra (13,2%), amendoim em casca 2ª safra (0,0%), arroz em casca (12,9%), aveia em grão (26,0%), batata-inglesa 1ª safra (7,0%), cacau em amêndoa (12,4%), cevada em grão (43,2%), feijão em grão 3ª safra (12,0%), mamona (37,8%), trigo em grão (51,9%) e triticale (26,6%).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink