IBGE estima que produção de grãos poderá alcançar 110,922 milhões de toneladas em 2003
CI
Agronegócio

IBGE estima que produção de grãos poderá alcançar 110,922 milhões de toneladas em 2003

Por: -Admin

A produção total de grãos (caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale), segundo o IBGE, poderá alcançar 110,922 milhões de toneladas, superando em 14,21% a produção obtida em 2002, que foi de 97,122 milhões de toneladas. Esta estimativa foi feita com informações coletadas em fevereiro de 2003 e ainda envolve algumas simulações, mais precisamente para as culturas de inverno (trigo, aveia, centeio e cevada).

Todas as grandes regiões produtoras apresentam previsão de crescimento da produção. Em relação ao ano anterior, o aumento previsto é da ordem de 3,47% na região Norte, 40,04% na região Nordeste, 3,41% na região Sudeste, 9,97% na região Centro-Oeste e 17,53% na região Sul. Estas regiões respondem, respectivamente, por 2,04%, 8,13%, 13,20%, 31,07% e 45,56% da produção total do Brasil.

A posição de fevereiro para cereais, leguminosas e oleaginosas mostra um aumento de 3,30% na estimativa de produção em comparação com janeiro. Destacam-se as variações nas estimativas de produção do feijão em grão 1ª safra (redução de 9,44%) e do milho em grão 1ª safra (aumento de 2,06%). No caso do feijão 1ª safra, a redução verificada se deve aos Estados da Bahia (-44%), de São Paulo (-10%) e do Paraná (-7%). As condições climáticas adversas prejudicaram a cultura do feijão nos principais estágios de desenvolvimento das lavouras. Na Bahia, houve falta de chuvas, e, nos outros dois Estados, o excesso de umidade ocasionou perdas no índice de produtividade.

Com referência ao milho 1ª safra, o acréscimo de 2,06% na estimativa de produção para fevereiro é proveniente de mudanças nas estimativas dos Estados de São Paulo (6%), Paraná (3%) e Mato Grosso do Sul (12%), locais onde as condições climáticas contribuíram para elevar o índice de produtividade das lavouras em, respectivamente, 11%, 4% e 7%.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.