IBGE estima que produção de grãos poderá alcançar 110,922 milhões de toneladas em 2003


Agronegócio

IBGE estima que produção de grãos poderá alcançar 110,922 milhões de toneladas em 2003

Por: -Admin
1 acessos

A produção total de grãos (caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale), segundo o IBGE, poderá alcançar 110,922 milhões de toneladas, superando em 14,21% a produção obtida em 2002, que foi de 97,122 milhões de toneladas. Esta estimativa foi feita com informações coletadas em fevereiro de 2003 e ainda envolve algumas simulações, mais precisamente para as culturas de inverno (trigo, aveia, centeio e cevada).

Todas as grandes regiões produtoras apresentam previsão de crescimento da produção. Em relação ao ano anterior, o aumento previsto é da ordem de 3,47% na região Norte, 40,04% na região Nordeste, 3,41% na região Sudeste, 9,97% na região Centro-Oeste e 17,53% na região Sul. Estas regiões respondem, respectivamente, por 2,04%, 8,13%, 13,20%, 31,07% e 45,56% da produção total do Brasil.

A posição de fevereiro para cereais, leguminosas e oleaginosas mostra um aumento de 3,30% na estimativa de produção em comparação com janeiro. Destacam-se as variações nas estimativas de produção do feijão em grão 1ª safra (redução de 9,44%) e do milho em grão 1ª safra (aumento de 2,06%). No caso do feijão 1ª safra, a redução verificada se deve aos Estados da Bahia (-44%), de São Paulo (-10%) e do Paraná (-7%). As condições climáticas adversas prejudicaram a cultura do feijão nos principais estágios de desenvolvimento das lavouras. Na Bahia, houve falta de chuvas, e, nos outros dois Estados, o excesso de umidade ocasionou perdas no índice de produtividade.

Com referência ao milho 1ª safra, o acréscimo de 2,06% na estimativa de produção para fevereiro é proveniente de mudanças nas estimativas dos Estados de São Paulo (6%), Paraná (3%) e Mato Grosso do Sul (12%), locais onde as condições climáticas contribuíram para elevar o índice de produtividade das lavouras em, respectivamente, 11%, 4% e 7%.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink