IBGE estima safra de grãos em 133,8 milhões de toneladas

Agronegócio

IBGE estima safra de grãos em 133,8 milhões de toneladas

A estimativa ficou 0,3% superior à estimativa de julho e 14,3% maior do que a produção de 2006 (117,0 milhões de toneladas)
Por:
160 acessos

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas deverá ser de 133,8 milhões de toneladas. A projeção ficou 0,3% superior à estimativa de julho e 14,3% maior do que a produção de 2006 (117,0 milhões de toneladas). Também foi constatada uma queda de 0,3% (45,4 milhões de hectares) da área plantada frente a 2006. Paraná (21,7%), Rio Grande do Sul (18,3%) e Mato Grosso (18,2%) lideraram o ranking nacional da participação de produção.

Em agosto, a estimativa de produção da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas foi de 133,8 milhões de toneladas, ficando 0,3% maior do que a estimativa do mês anterior e 14,3% superior à produção de 2006 (117,0 milhões de toneladas). A soja e o milho 1ª e 2ª safras se destacaram, representando 82,5% da produção, com 58,2 milhões de toneladas para a soja e 52,2 milhões para o milho 1ª e 2ª safras. Estes dois produtos também apresentaram as maiores áreas plantadas, com 20,6 milhões de hectares e 13,8 milhões de hectares , respectivamente. Frente a 2006, houve acréscimos de 11,2% (soja), 16,0% (milho 1ª safra) e 40,6% (milho 2ª safra). A área cultivada em 2007 (45,4 milhões de hectares) sofreu um decréscimo de 0,3% frente a 2006 (45,5 milhões de hectares).

Das culturas pesquisadas em agosto, três se destacaram no que diz respeito a variações nas estimativas de produção frente ao mês anterior: feijão em grão 2ª safra (-2,7%), milho em grão 2ª safra (+1,6%) e trigo em grão (-3,2%). A variação negativa na estimativa do feijão 2ª safra (-2,7%) este mês deveu-se aos ajustes praticados nos estados do Ceará, Bahia e Mato Grosso do Sul, onde condições climáticas irregulares (estiagens prolongadas) prejudicaram seu desenvolvimento. Na Bahia (-9,9%) e no Mato Grosso do Sul (-14,7%) as perdas foram mais relevantes. A expectativa de colheita nestes estados é de, respectivamente, 232 mil e 15,5 mil toneladas.

O milho em grão 2ª safra encontra-se em fase de colheita bastante adiantada, aproximando-se do final. Neste caso, observam-se variações no Paraná (-2,2%) e Mato Grosso do Sul (+9,1%). No Paraná houve falta de chuvas em algumas localidades, com perda na produtividade (-3,8%), enquanto no Mato Grosso do Sul o ganho de produção foi devido a novas avaliações da área plantada (1,9%) e na produtividade 3.232 kg /ha, que apresentou incremento de 7,7%, frente a julho (3.000 kg /ha).

Quanto ao trigo, a estimativa da produção este ano mostra queda de 3,2% em comparação ao mês anterior. A perda se deve, principalmente, a condições climáticas irregulares no Paraná, como a falta de chuvas por longos períodos e a geada, que causaram prejuízos em julho para produtores que semearam mais tarde. Nas regiões onde o plantio foi realizado mais cedo, como na parte oeste do estado, a colheita do produto já começou. No Mato Grosso do Sul, em razão de reavaliação na produtividade, que passou de 1.400 kg /ha para 1.539 kg /ha, a produção aumentou 17,5%, atingindo 48.994 toneladas na estimativa de agosto. Neste estado, a colheita já está em andamento. As informações são do IBGE.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink