Imbituba/SC planeja edital para terminal de fertilizantes

Agronegócio

Imbituba/SC planeja edital para terminal de fertilizantes

Anúncio foi feito pelo administrador do porto na reunião na Câmara de Transporte e Logística da FIESC.
Por:
2518 acessos

Anúncio foi feito pelo administrador do porto na reunião na Câmara de Transporte e Logística da FIESC. Porto de Imbituba vai arrendar novo terminal de fertilizantes

Fiesc - O Porto de Imbituba planeja lançar em três semanas o edital de arrendamento para o terminal de fertilizantes, afirmou o administrador do Porto, Jeziel Pamato de Souza, na reunião da Câmara de Transportes e Logística da FIESC, realizada nesta sexta-feira (29).

No evento ele também informou que a partir de 2012 a previsão é movimentar 360 mil contêineres por ano. Contudo, Souza demonstrou preocupação com a possível interrupção das obras do molhe de abrigo do porto que estão sendo feitas pelo exército.

O Porto, que começou a ser reestruturado em 2001, tinha em 2004 uma dívida de R$ 200 milhões e passivos trabalhistas. Pamato de Souza ressaltou que a partir de 2006 ocorreu a "virada de página" do empreendimento, com o arrendamento do terminal de contêineres para o Grupo Santos Brasil. "Tudo o que temos feito no porto [obras] é com capital privado. Não se pode ficar só da dependência do governo federal senão as obras não acontecem", afirmou.

Apesar dos investimentos em curso nos portos catarinenses, ficou clara na reunião a preocupação em relação à capacidade de atender o forte crescimento da movimentação ao longo dos próximos ano. O presidente do Porto de São Francisco do Sul, Paulo César Côrtes Corsi disse que esse é um fenômeno que ocorre no mundo todo, mas principalmente no Brasil.

A região Sul responde por 35% de toda movimentação do Brasil. De 2002 a 2007 houve aumento de aproximadamente 20% ao ano na movimentação de cargas. Com um crescimento anual de 10% na movimentação dos portos do estado, seria necessário um novo berço a cada dois anos só para movimentar contêiner. Mesmo com a inauguração de empreendimentos, como é o caso de Itapoá, Côrtes Corsi acredita que no médio prazo "vão faltar portos".

Em relação ao Porto de São Francisco, ele destacou que a obra mais importante em andamento é a dragagem para que o Porto tenha 14 metros de calado. A obra, prevista para ser concluída em meados de 2011, colocará o empreendimento entre os que têm maior calado nas regiões Sul e Sudeste.

O porto movimenta vários tipos de cargas, o que exige instalações específicas. Segundo o presidente, com a crise internacional, o movimento de contêineres registrou queda, mas em 2010 deve alcançar 10 milhões de toneladas em movimentação geral de cargas. O recorde foi em 2007, com 8,3 milhões.

O presidente da FIESC, Alcantaro Corrêa, apresentou na reunião a execução das obras de logística de transportes previstas no Orçamento Geral da União. Em 2009, estavam previstos R$ 907 milhões, mas foram efetivamente pagos R$ 490 milhões (54% do total). Neste ano, Santa Catarina deveria receber R$ 572 milhões, mas até o momento foram pagos somente R$ 75 milhões (12,6% do total). O cenário das obras contempladas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não é diferente. Dos R$ 2,5 bilhões previstos para o período 2007 a 2010, foram pagos R$ 1,3 bilhão. Isso representa 53,1% do total.

A FIESC encaminhou recentemente aos parlamentares das bancadas dos três estados do Sul em Brasília documento com propostas de obras prioritárias na área de logística e transporte para o Orçamento de 2011. Para o Porto de São Francisco foram pedidos R$ 222,9 milhões para obras como acesso ferroviário, construção e reforço de berços.

Para Imbituba foram solicitados R$ 42 milhões para investimentos em dragagem e acessos rodoviário e ferroviário.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink