Importações de leite e derivados crescem em julho

Agronegócio

Importações de leite e derivados crescem em julho

A balança comercial de leite e seus derivados registrou um déficit de US$ 74,3 mil
Por:
59 acessos

A balança comercial brasileira de leite e seus derivados registrou um déficit de US$ 74,3 mil em julho. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, as importações aumentaram em relação ao mês anterior. O Brasil comprou 5,32 mil toneladas a US$ 13,18 milhões, o que representou acréscimos de 74%, em volume e 81% em valor em relação a junho.

Comparado ao mesmo período do ano passado, as importações cresceram 17% em valor, porém tiveram uma redução de 16% em volume. No acumulado do ano, houve um superávit de US$ 11,77 milhões, contra US$ 5,6 milhões obtidos no mesmo período do ano passado.

De janeiro a julho, as importações somaram 39,9 mil toneladas a US$ 81,9 milhões, representando um aumento de 2% em valor, mas uma redução de 11,3% em volume em relação ao mesmo período do ano passado. No mesmo período, as vendas externas totalizaram 42,9 mil toneladas a US$ 93,71 milhões, o que representou um aumento de 9% em valor frente ao mesmo período de 2006, porém, uma queda de 1,1% em volume na mesma comparação.

Segundo o economista Edson Alves Novaes, assessor da Federação da Agricultura do Estado de Goiás (Faeg), o crescimento das importações em julho foi favorecido pela baixa cotação do dólar frente ao real. “Ficou barato importar”, avalia. Ele afirma que as importações foram estimuladas pela demanda interna - foi preciso importar para suprir alguns mercados.

Edson diz, entretanto, que o crescimento das importações de lácteos não deve afetar os preços no mercado interno, que estão em recuperação. “Os preços internos estão mais relacionados às cotações no mercado mundial do que à balança comercial e o mercado mundial continua aquecido”, explica. Edson lembra que o Brasil continua exportando lácteos, apesar da queda no volume, e que os valores pagos pelos produtos brasileiros estão mais altos em comparação com o mesmo período do ano anterior.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink