ANÁLISE

Importações totais de trigo pelo Brasil estão diminuindo

Moinhos se queixam ds estragos que as farinhas importadas fazem no País
Por: -Leonardo Gottems
623 acessos

As importações totais de trigo pelo Brasil no período setembro/fevereiro para a temporada 2017/18 foram de 2.861.043,53 toneladas. O resultado representou uma baixa de 28,40% na comparação com as 3.996.084,33 toneladas importadas no mesmo período da temporada anterior, de 2016/17, aponta a T&F Consultoria Agroeconômica. 

“Isto é muito significativo, quando se pensa que a safra brasileira de trigo em 2016/17 foi de 37,5% superior à safra de 2017/18. Em tese, portanto, as importações da temporada atual deveriam ser maiores e não muito menores, o que vem confirmar nossa tese de que o que diminuiu mesmo foi a demanda de subprodutos finais junto ao consumidor”, afirma o analista da T&F, Luiz Fernando Pacheco.

O especialista ressalta que, pela primeira vez na história, vimos grandes moinhos do Nordeste se queixarem pelo fato de terem que reduzir a moagem, mencionando especificamente a redução da demanda dos subprodutos de suas farinhas. “O mesmo nos disseram os moinhos mineiros, que são os que tem a melhor matéria prima e estão mais próximos dos mercados consumidores, fatores que deveriam protegê-los de quedas, como vinha acontecendo até dezembro passado; mas, neste primeiro semestre de 2018 os volumes mudaram”, afirma Pacheco.
 
“Nos nossos contatos com os moinhos, a maior queixa é sobre os estragos que as farinhas importadas fazem no Brasil. Principalmente as argentinas, que são as que tem maior volume. Já houve até quem aventasse a possibilidade de que haja importação clandestina desta farinha, algo que foi enfaticamente negado por importador de Foz do Iguaçu com um argumento muito simples: ‘Não seria inteligente, porque seria feito com dólar no câmbio negro, o que ficaria mais caro. É mais tranquilo e mais lucrativo fazer pelas vias corretas’”, conclui. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink