Inauguração de Centro de Treinamento terá Dia de Campo do Algodão

Agronegócio

Inauguração de Centro de Treinamento terá Dia de Campo do Algodão

Dia de campo será no dia 17 de junho
Por:
5472 acessos

O Dia de Campo do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) será realizado junto com a inauguração do Centro de Treinamento e Difusão Tecnológico do Núcleo Regional Centro, em Campo Verde, no próximo dia 17 (sexta-feira). "Os produtores de algodão, seus colaboradores e todos que atuam no sistema agrícola mato-grossense terão a oportunidade de conhecer as instalações do novo Centro de Treinamento e, ao mesmo tempo, entrar em contato com novas tecnologias", diz Gustavo Piccoli, presidente da Ampa e do IMAmt.

O Dia de Campo é uma oportunidade oferecida a cada ano para que os produtores e seus colaboradores conheçam as novas tecnologias desenvolvidas por pesquisadores do IMAmt e de instituições parceiras, e possam se preparar melhor para a próxima safra. Neste ano, a programação inclui cinco estações, as apresentações começarão às 8h e seguirão até meio-dia quando terá início a solenidade de inauguração do novo Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica.

Na Estação 1, o tema será o posicionamento das variedades IMAmt e será apresentado por Márcio de Souza, coordenador de Projetos e Difusão de Tecnologias do IMAmt, pelo pesquisador Ederaldo Chiavegato da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (Esalq/USP) e pelo consultor Wanderley Oishi. Segundo Souza, eles falarão sobre o desempenho das variedades de algodoeiro do IMAmt em diferentes regiões de Mato Grosso, sendo que Chiavegato ficará mais focado no comportamento dessas cultivares diante das questões ambientais e o consultor Oishi enfatizará as estratégias e técnicas de manejo.
 
Controle biológico e parceiros
- O controle biológico é hoje considerado um forte aliado do produtor e será tema da apresentação do pesquisador Carlos Marcelo Soares, do IMAmt, na Estação 2. "Vamos apresentar o Triângulo do Controle Biológico em Mato Grosso, que congrega todas as iniciativas que o IMAmt vem desenvolvendo sobre o tema. Será mostrado o estado da arte de tecnologias baseadas em micro-organismos, como vírus, fungos e bactérias, que estão sendo trabalhadas para serem incluídas no Manejo Integrado de Pragas para a cultura do algodão", informa Soares, cujas pesquisas são desenvolvidas em parceria com a Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (de Brasília). Segundo o pesquisador do IMAmt, essas novas tecnologias poderão ser utilizadas em outros cultivos do sistema agrícola mato-grossense. Soares também falará sobre os principais entraves que o desenvolvimento de um biopesticida encontra no âmbito da legislação brasileira.

O pesquisador do IMAmt compartilhará a Estação 2 com representantes de duas instituições parceiras do IMAmt: o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT). 

O IFMT estará representado pelo diretor do Núcleo Avançado de Campo Verde, Charles Araújo, que falará sobre as perspectivas abertas com a parceria estabelecida com o IMAmt, principalmente em relação ao curso de Agronomia oferecido no município. "A estrutura do CT do Núcleo Regional Centro nos permitirá desenvolver trabalhos de campo com alunos e também oferecer treinamentos", informou Araújo. Além de dois cursos de Agronomia (em horários diferentes), o Núcleo Avançado mantém um curso de Informática – Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Um dos trabalhos que está sendo realizado em parceria pelo IFMT e IMAmt (junto com a Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT) é o projeto baseado em um sistema VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado) para monitoramento de lavouras com infestação de nematoides e outras doenças vinculadas ao solo difíceis de serem visualizadas no campo.
O Senar-MT, por sua vez, será representado no Dia de Campo por Armando Urenha, gerente de Educação formal e Assistência técnica, que falará sobre os treinamentos que vêm sendo realizados no CT do Núcleo Regional Norte (Sorriso) como parte da parceria com a Ampa e o IMAmt. A parceria também prevê a oferta de cursos no CT do Núcleo Regional Médio Norte, a ser inaugurado em Campo Novo do Parecis, no início do segundo semestre. "Temos diversos treinamentos voltados para a qualificação da mão de obra, com foco voltado principalmente para a mecanização agrícola (operação e manutenção de maquinário utilizado no campo)", informa Urenha. Ele acrescenta que o Senar-MT também oferece cursos voltados para gestão de propriedades rurais.
 
Destruição de restos culturais - Os pesquisadores Edson Andrade Junior e Rogério Sá serão os responsáveis pela Estação 3. "Vou abordar os principais pontos relacionados à destruição dos restos culturais do algodoeiro - uma prática de extrema importância para a redução da proliferação de pragas e doenças", comenta Andrade Junior. Entre outros aspectos, o pesquisador falará sobre os principais métodos de destruição dos restos culturais, eficiência de controle e posição atual do IMAmt.

Ele também abordará os principais pontos da IN Conjunta Sedec/Indea-MT nº 001/2016, que divide Mato Grosso em duas regiões e estabelece para cada uma delas datas distintas para o calendário de plantio do algodoeiro e o de vazio sanitário.

O pesquisador Rogério Sá, que desenvolve o programa de Avaliação do Potencial Produtivo de Plantas Oleaginosas, apresentará aos convidados do Dia de Campo alternativas para a segunda safra tardia. Segundo Sá, uma das premissas do programa é acrescentar culturas aos sistemas de produção dos cotonicultores, que contribuam para o controle de nematoides e melhorem as condições físicas do solo. 

"O cultivo de híbridos de mamona é a iniciativa que apresenta, atualmente, os resultados mais promissores como opção de segunda safra tardia, período com restrição hídrica, porém com potencial para a produção de óleo", informa o pesquisador. Ao seu lado, Andrade Junior aproveitará para abordar alguns pontos sobre o manejo de herbicidas na cultura da mamona.
 
Bicudo e outras pragas - Dois entomologistas do IMAmt, Eduardo Barros e Jacob Crosariol Netto, estarão recebendo os visitantes na Estação 4, onde falarão sobre bicudo e outras pragas (como lagartas e mosca-branca) que atacam as lavouras de algodão e de outras culturas que integram o sistema produtivo do Cerrado.

Barros é coordenador do projeto Controle Efetivo do Bicudo e vai apresentar as ações realizadas, entre elas, a formação dos Grupos Técnicos do Algodão (GTAs) nos diversos núcleos regionais de produção algodoeira. Os GTAs propõem um debate franco entre pesquisadores, consultores, produtores e seus colaboradores sobre questões como destruição de restos culturais do algodoeiro e formas de controlar a pressão do bicudo e de outras pragas nas fazendas.

Jacob Netto, por sua vez, falará sobre lagartas-praga e mosca-branca. "Vou apresentar dados sobre o efeito da utilização de cultivares Bt em relação aos principais lepidópteros desfolhadores e os resultados do uso de inseticidas para o controle da mosca-branca", afirmou.
 
Melhoramento e qualidade de fibra
- Na Estação 5, os pesquisadores Jean Belot, Alberto Souza Boldt e Leonardo Scoz irão abordar novas ferramentas para o programa de Melhoramento do IMAmt e falar sobre a situação do projeto de qualidade de fibra de Mato Grosso. "Vamos apresentar as especificidades do programa de Melhoramento do Algodão, visando a obtenção de variedades com resistência ou tolerância aos nematoides e às doenças", afirma Belot.  Segundo o pesquisador melhorista, para atingir esses objetivos, o IMAmt está implementando ferramentas de biologia molecular, como o uso de marcadores moleculares, em seu programa de melhoramento.

Entre as ferramentas já utilizadas em rotina, estão marcadores visando o desenvolvimento de novas variedades com resistência ao nematoide das galhas (Meloidogyne incógnita) e também pesquisas para identificar marcadores visando trabalhar com a resistência à ramulária e à virose atípica. O trabalho com marcadores vem sendo realizado pelos pesquisadores Alberto Souza Boldt e Leonardo Scoz no laboratório de Biologia Molecular, que está sendo reestruturado no Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica do Núcleo Regional Sul (região de Rondonópolis).

"Desenvolvimento de Marcadores Moleculares para Resistência à Ramulária e Virose Atípica" é o título do projeto: "Trata do desenvolvimento de marcadores do tipo SNP (Single Nucleotide Polymorphism) ligados a genes/regiões genômicas que conferem resistência aos patógenos Ramularia areola (fungo) e Atipical Cotton Blue Disease (vírus)", explica Alberto Souza Boldt.

Na avaliação do pesquisador, a importância do projeto fundamenta-se em dois pontos: a descoberta de novas fontes de resistência genética a dois patógenos que causam perdas econômicas significativas aos produtores; rapidez, eficiência e economia na incorporação da resistência (aos dois patógenos) em variedades comerciais com o uso de marcadores moleculares SNP. Iniciado na safra 2014/15, o projeto continua em desenvolvimento: "Temos diversas fontes (ou variedades) com resistência já caracterizada. Atualmente estamos desenvolvendo populações de mapeamento genético para identificar marcadores fortemente ligados à resistência aos dois patógenos".

Outro trabalho que será apresentado na Estação 5 é o projeto de Qualidade de Fibra do Algodão, que trabalha vários aspectos, da escolha de variedades de algodoeiro ao beneficiamento da fibra, passando pelo manejo das lavouras.  Esse tema estará a cargo do pesquisador Jean Belot e do consultor Sérgio Dutra.

O Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica do Núcleo Regional Centro será o terceiro CT a ser inaugurado pela Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) e pelo IMAmt, após a entrada em operação dos CTs dos Núcleos Regionais Norte (região de Sorriso) e Sul (região de Rondonópolis). Outros dois CTs estão sendo construídos nos núcleos regionais Médio Norte (região de Campo Novo do Parecis) e Noroeste (região de Sapezal), e todos deverão estar funcionando até o final deste ano.
 
Serviço
O que
: Inauguração do Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica do Núcleo Regional Centro e Dia de Campo
Quando: 17 de junho (sexta-feira), a partir das 7h30
Onde: Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica do Núcleo Regional Centro Ampa/IMAmt – Rodovia BR-070, sentido Campo Verde/Primavera do Leste, Km 365 (a 80 metros, virar à direita).
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink