Índice Ceagesp tem queda de 1,13% em abril

Agronegócio

Índice Ceagesp tem queda de 1,13% em abril

A retração no setor de Legumes foi de 4,91%
Por: -Janice
1878 acessos
Pela primeira vez no ano, o Índice Ceagesp apresenta retração de 1,13% nos preços no atacado dos principais produtos comercializados na Ceagesp. Os setores de Frutas, Legumes e Verduras registraram baixas, apenas os setores de Diversos e Pescados contabilizaram altas nos preços praticados. No ano, o Índice acumula alta de 8,06% e ligeira elevação de 0,20%, nos últimos 12 meses.

“Esperávamos quedas de preços ainda mais acentuadas, principalmente, nos setores de Legumes e Verduras. No entanto, as atípicas chuvas de granizo ocorridas em meados de abril em importantes regiões produtoras do cinturão verde paulista como Ibiúna, Piedade, Sorocaba, Mogi das Cruzes, Guararema, entre outros municípios acarretaram a redução do volume ofertado e prejudicaram a qualidade dos produtos comercializados nestes setores”, analisa o economista da Companhia, Flávio Godas.

A retração no setor de Legumes foi de 4,91%. As principais quedas de preços foram da ervilha torta (-50,3%), da vagem (-31,6%) e do chuchu (-23,5%). As altas ficaram por conta da berinjela (32%), do pimentão vermelho (57%) e do pimentão amarelo (64,7%). Já o setor de Verduras registrou queda de 2,57%. As principais baixas foram do milho verde (-19,3%), do brócolis ninja (-16,7%) e da couve-flor (-17,9%). As elevações foram da cebolinha (13,2%), da couve (14,6%) e da acelga (13,7%).

“Com a normalização da oferta, os preços dos setores de Verduras e Legumes devem apresentar forte retração em meados de maio, época de redução no consumo de boa parte dos produtos, principalmente das folhas”, prevê Godas.

O setor de frutas também computou queda nos preços, com a retração de 1,19. Laranja lima (-35,3%), atemoia (-25,3%) e o abacaxi havaí (-18%) foram as principais baixas e os aumentos nos preços foram da melancia (23,8%), do maracujá (18,7%) e da uva itália (17%). “O setor também deverá sofrer retração no consumo, principalmente os citros e os frutos tropicais. Desta forma, são esperadas quedas ainda maiores nos preços praticados das frutas”, afirma Godas.

Somente os setores de Diversos (4,27%) e de Pescados (0,75%) apresentaram elevação nos preços. As principais altas em Diversos foram do coco seco (37,6%), dos ovos (8,96%) e da batata lisa (7,51%). As quedas foram do amendoim (-3,12%) e da cebola nacional (-1,64%). Para o economista da Companhia “O setor de Diversos apresentou, no primeiro trimestre, preços muito próximos ao de custo. Assim, a recuperação de preços, principalmente da batata e cebola é esperada no setor, que deve continuar registrando alta”.

Com relação aos Pescados, as principais altas foram do robalo (10,1%), da tainha (10,5%) e do pintado (18,9%). As baixas mais acentuadas foram da pescada (-8,2%), do polvo (-13%) e da cavalinha (-6,5%). “Os pescados, mesmo com a elevação acentuada no consumo em função da Semana Santa, não registraram aumentos de preços expressivos em abril. Passada a época de demanda aquecida, a expectativa é de ligeira queda nos preços”, antecipa Godas.

Primeiro balizador de preços de alimentos frescos no mercado, o Índice Ceagesp é um indicador de variação de preços no atacado de Frutas, Legumes, Verduras, Pescado e Diversos. Divulgado mensalmente, os itens da cesta foram escolhidos pela importância dentro de cada setor e ponderados de acordo com a sua representatividade. O Índice foi lançado em 2009 pela Ceagesp, que é referência nacional em abastecimento.




As informações são da assessoria de imprensa da CEAGESP.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink