Infocafé de 15/05/19

Infocafé

Infocafé de 15/05/19

N.Y. finalizou a quarta-feira com leve alta
Por:
39 acessos

N.Y. finalizou a quarta-feira com leve alta, a posição julho oscilou entre a mínima de -0,35 pontos e máxima de +0,80 fechando com +0,35 pts.

O dólar comercial fechou em alta de 0,51%, cotado R$ 3,9960. Em 1º de outubro de 2018, a menos de uma semana do primeiro turno, a moeda havia batido R$ 4,018. Dados fracos sobre a economia brasileira colaboraram para o desempenho negativo do mercado hoje. Considerado uma "prévia" do PIB (Produto Interno Bruto), o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica), do Banco Central, apontou encolhimento de 0,68% da economia no primeiro trimestre, na comparação com o trimestre anterior.

O mercado também monitorou o noticiário político em dia marcado por manifestações contra o governo Jair Bolsonaro devido a cortes nas verbas das universidades públicas. Afetaram o mercado a divulgação de uma queda inesperada de 0,2% nas vendas do comércio nos Estados Unidos em abril e de crescimento abaixo do esperado das vendas no varejo e na produção industrial da China no mês passado. Existe a expectativa de que o governo chinês atuará com novas medidas de estímulo, pressionado também pela guerra comercial com os EUA, o que pode beneficiar ações e moedas de países emergentes, como o real.

As exportações brasileiras de café para o continente asiático, no período de janeiro a abril de 2019, foram de 2,52 milhões de sacas de café de 60kg, volume que representa crescimento de 29,9% em relação às exportações do mesmo período do ano passado. Com uma participação de 19,3% do total das exportações brasileiras de café no período, o continente asiático gerou uma receita cambial de US$ 342,3 milhões, atingindo a terceira colocação dos continentes com maior volume de importação, precedido do segundo – América do Norte - com 21,6% de participação nas exportações, totalizando 2,83 milhões de sacas de 60kg e US$ 371,9 milhões de receita cambial.

O principal destino das exportações dos Cafés do Brasil continua sendo o continente europeu, responsável por 52,9% do volume exportado, com 6,93 milhões de sacas e receita cambial de US$ 884 milhões nos primeiros quatro meses de 2019. Especificamente em relação ao continente asiático, vale destacar que o Japão, principal país importador da região, registrou um crescimento expressivo de 37,04% na compra dos Cafés do Brasil, se comparado com o mesmo quadrimestre do ano anterior. Se considerado o mesmo período, ora em destaque, de janeiro a abril de 2019, verifica-se ainda que os cafés diferenciados do Brasil – aqueles que têm qualidade superior ou algum tipo de certificado de práticas sustentáveis – atingiram a marca de 2,5 milhões de sacas de 60kg exportadas, que representam 19,5% do volume total de café embarcado no ano e constituem um expressivo crescimento de 43,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

A receita cambial, neste caso, foi de US$ 416 milhões, participando com 24,6% do valor total da exportação de café nos primeiros quatro meses de 2019. Nesse caso, os principais destinos dos cafés diferenciados brasileiros foram os EUA, que importaram 580 mil sacas (22,7% do volume total de café especial embarcado no ano-civil), seguido 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink