Infocafé de 28/03/18

Infocafé

Infocafé de 28/03/18

Bolsa de N.Y finalizou a quarta-feira em baixa
Por:
37 acessos

A bolsa de N.Y finalizou a quarta-feira em baixa, a posição maio oscilou entre a máxima de +0,25 pontos e mínima de -1,60 fechando com -1,20 pts. 

O dólar comercial fechou cotado a R$3,3310 com leve baixa de 0,01%. No exterior, o jornal estatal chinês "Global Times" noticiou que a China anunciará em breve uma lista de tarifas retaliatórias sobre exportações dos Estados Unidos. Além disso, notícias de que o presidente norte-americano, Donald Trump, e a chanceler alemã, Angela Merkel, discutiram "unir forças para combater" as práticas econômicas da China e o suposto roubo de propriedade intelectual aumentaram os temores de uma guerra comercial. No Brasil, os investidores também estavam cautelosos com o julgamento de habeas corpus em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo STF (Supremo Tribunal Federal), na próxima semana. Ainda no cenário interno, o Banco Central brasileiro vendeu nesta sessão toda a oferta de até 12,7 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, e concluiu a rolagem do vencimento de abril, de US$ 9,029 bilhões. 

A produção de café arábica da Colômbia aumentou em torno de 90% em apenas quatro safras seguidas, pois passou de 7,6 milhões de sacas de 60kg da safra 2011/2012 para 14,6 milhões na safra 2016/2017. Esse resultado positivo do aumento expressivo da produção é atribuído diretamente a um programa bem-sucedido de renovação das lavouras, implementado e apoiado pelo governo colombiano. Referido programa está garantindo recursos financeiros para que o país renove mais 100 mil hectares de café até 2024. Com isso, a produção colombiana deverá atingir 18 milhões de sacas brevemente. Até o momento o país já renovou 700 mil hectares de suas lavouras de café, no período de 2009 a 2017, cuja área total cultivada está estimada em 900 mil hectares. Nesse contexto da cafeicultura colombiana, fato interessante é que o cultivo do café   também se tornou uma oportunidade de renda para os vizinhos venezuelanos, os quais têm buscado trabalho principalmente na época da colheita. No departamento de Risaralda, por exemplo, um dos mais importantes produtores de café da Colômbia, muitos venezuelanos trabalharam na colheita em 2017. A chegada desses trabalhadores estrangeiros tem sido considerada positiva pela Federação Colombiana dos Cafeicultores, a qual calcula que o país possui um déficit aproximado de 60 mil trabalhadores no período da colheita do café. Do ponto de vista político-administrativo, a Colômbia é dividida em 32 departamentos – como se fossem estados – mais o distrito da capital do país. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink