Insegurança alimentar cresce no Oriente Médio
CI
Imagem: Pixabay
MUNDO

Insegurança alimentar cresce no Oriente Médio

No Líbano, as famílias de baixa renda passarão fome se o pão e outros alimentos básicos continuarem com pouca oferta
Por: -Leonardo Gottems

Um novo relatório da Mercy Corps, uma organização humanitária com sede em Portland, Oregon, EUA, descreve como a guerra na Ucrânia impactou a agricultura, segurança alimentar, energia e transporte em seis países do Oriente Médio.

O Mercy Corps observa em seu relatório que comunidades no Iêmen, Síria, Líbano, Palestina, Jordânia e Iraque provavelmente enfrentarão altas taxas de insegurança alimentar, aprofundamento da dependência de ajuda e desestabilização política se houver pouca ou nenhuma intervenção para combater a alta de alimentos e combustíveis.  

No Iêmen, o custo da farinha aumentou 42%, do pão 25%, do óleo de cozinha 62,8% e do açúcar 35,7% entre janeiro e maio de 2022, agravando uma situação de segurança alimentar já alarmante . Tanto em Sanaa quanto em Aden, 100 rial iemenita agora comprarão apenas três pães em vez de quatro. As organizações humanitárias viram um aumento de 20% na cesta de gastos mínimos de sobrevivência, o limite monetário que as famílias exigem para atender às suas necessidades essenciais.

No Líbano, as famílias de baixa renda passarão fome se o pão e outros alimentos básicos continuarem com pouca oferta em todo o país, devido ao desvio e ao acúmulo do mercado negro. O combustível está agora fora do alcance de muitas pessoas e a crise de eletricidade do Líbano deve piorar à medida que os preços dos combustíveis aumentam.

Na Síria, as alocações de farinha para padarias públicas na cidade de Aleppo foram reduzidas em 25% desde março, em 50% em Tafas e em 20% na zona rural de Damasco, forçando os cidadãos a recorrer a padarias privadas para suprimentos de pão, que aumentaram de preço em 94%. Para cada aumento de 1% nos preços do diesel no noroeste da Síria, os preços do pão não subsidiado aumentam 1,27%, o bulgur aumenta 1,12% e a farinha de trigo aumenta 0,26%.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.