Agronegócio

Instituto em Mato Grosso aponta que política chinesa afeta produção de algodão

As novas projeções Departamento Norte-americano de Agricultura para o algodão, apontaram a redução dos estoques finais.
Por:
447 acessos

As novas projeções Departamento Norte-americano de Agricultura para o algodão, apontaram a redução dos estoques finais, sendo estimados em 22,2 milhões de toneladas para a safra 15/16 e 20,6 milhões de toneladas para a 16/17. A análise é do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), no último boletim. “Uma previsão mais otimista quando comparada aos últimos dados do ICAC, que projetaram os estoques em 20,4 milhões de toneladas para a safra 15/16 e 19,7 milhões de toneladas para a safra 16/17”.

Segundo a entidade, “ambos os dados demonstram embasamento na atual política chinesa de redução de estoques, na retração da área cultivada no mundo e diminuição da produtividade em determinados países. Mesmo após a divulgação dos dados, as reduções não foram suficientes para sustentar as cotações na ICE, que operou em queda ante a semana anterior, quando a média semanal para o contrato N16 fechou em ¢ US$ 63,38, representando uma variação negativa de 3,06% em relação à semana anterior”.

A entidade lembrou ainda que a “comercialização da pluma de algodão em Mato Grosso, da safra 15/16, apresenta desde o mês de fevereiro um ritmo de crescimento lento e gradual. Esta desaceleração pode ter sido consequência, dentre outros fatores, do declínio do preço médio de comercialização ocorrido no mês de março deste ano. No mês de junho a quantidade acumulada de negociações atingiu o valor de 56%, que corresponde a 522,9 mil toneladas de pluma comercializadas até o momento”.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink