Intercâmbio internacional para fortalecer aquicultura brasileira

Agronegócio

Intercâmbio internacional para fortalecer aquicultura brasileira

Há dois meses, o pesquisador Paulo Carneiro , da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), está em Valencia, Espanha, realizando pós-doutoramento em nutrição e reprodução de organismos aquáticos
Por:
961 acessos
Há dois meses, o pesquisador Paulo Carneiro , da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), está em Valencia, Espanha, realizando pós-doutoramento em nutrição e reprodução de organismos aquáticos junto ao Grupo de Acuicultura y Biodiversidad, do Instituto de Ciencia y Tecnologia Animal da Universidad Politecnica de Valencia (UPV).

O objetivo do pós-doutorado de 12 meses de Carneiro é promover um maior intercâmbio entre a pesquisa em aquicultura brasileira e os pesquisadores da Espanha, referência mundial em criopreservação de sêmen de peixes – por meio de congelamento.

Paulo trabalha desde 2007 na Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e tem atuado em linhas de pesquisa ligadas à nutrição e reprodução de peixes.

Ele coordena os projetos “Conservação de recursos genéticos de organismos aquáticos de potencial econômico para a aquicultura” e “Conservação do sêmen do tambaqui Colossoma macropomum” que tem como objetivo definir um protocolo de preservação do sêmen congelado do tambaqui e, posteriormente, de outras espécies.

Com o intercâmbio, o pesquisador espera concretizar a parceria internacional e fortalecer a troca de conhecimento e tecnologias aplicadas à aquicultura entre o Brasil e a União Europeia, entre elas a criopreservação de sêmen de peixes e a análise computadorizada de qualidade do sêmen. “Aqui na Europa eles têm o Proeel – projeto financiado pela UE envolvendo sete países para trabalhar com a reprodução enguia europeia. É uma rede de nível continental com a qual poderemos aprender por meio da troca de experiências”, disse.

Segundo Carneiro, o intercâmbio com a rede europeia deverá fortalecer o projeto “Aquabrasil – Bases Tecnológicas para o Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura no Brasil”, rede nacional de pesquisa liderada pela Embrapa, da qual ele participa.

Visita ao Brasil

A fim de intensificar a troca de conhecimento e experiências, Paulo Carneiro virá ao Brasil no dia 16 de novembro acompanhado do pesquisador espanhol Juan Asturiano, especialista em biotecnologias e reprodução de peixes da UPV.

O cientista espanhol vai conhecer os trabalhos com nutrição e reprodução de tambaqui coordenados por Paulo no Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura (Ceraqua São Francisco) da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em Porto Real do Colégio, AL, à margem do rio São Francisco, na divisa entre Sergipe e Alagoas.

“A ideia é dar o primeiro passo e ligar as equipes de reprodução animal da Embrapa Tabuleiros Costeiros e da Espanha. Queremos dar sequência ao que já fizemos nesses três anos, agora aplicando a técnica em escala comercial, de forma utilizável pelo produtor, com volumes mais altos de sêmen”, disse Paulo.

Missão na Espanha

No dia 8 de novembro, uma comitiva do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e da Embrapa segue em missão à Espanha para conhecer centros de pesquisa e unidades de produção em aquicultura nas regiões de Galícia e Múrcia.

Participam da missão chefes da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas, TO), membros da Assessoria de Relações Internacionais da Embrapa, pesquisadores integrantes do Aquabrasil, além de coordenadores de pesquisa e fomento do MPA. Eles serão acompanhados por autoridades ministeriais do governo espanhol.

A missão é resultado da visita ao Brasil, em abril, da ministra espanhola da Ciência e Inovação, Cristina Garmendi, da qual derivaram diversas ações de cooperação na aquicultura. A visita encerra no dia 12, com reunião em Madrid entre as comitivas dos dois países. A ideia é consolidar a parceria entre o Brasil e a Espanha e dar início a pesquisas colaborativas com tambaqui na Amazônia.

As informações são da assessoria de imprensa da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE).
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink