Interior de Santa Catarina recebe tecnologia para saneamento básico rural

Curso

Interior de Santa Catarina recebe tecnologia para saneamento básico rural

Atividade integra um projeto apoiado pela Fundação Banco do Brasil e executado pela Embrapa Instrumentação
Por:
51 acessos

A proposta de disseminar o uso da Fossa Séptica Biodigestora por meio da capacitação de agentes multiplicadores cumpre mais uma etapa esta semana com a realização do “Curso Saneamento Básico Rural – Tecnologias Embrapa”, em Concórdia (SC). A atividade, que ocorre pela primeira vez na região, integra um projeto apoiado pela Fundação Banco do Brasil e executado pela Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP).

Além de instalação de unidades da FSB nas cinco regiões do País, o projeto deve capacitar 500 agentes multiplicadores com o apoio de seis unidades da Embrapa, organizações não-governamentais, associações de produtores rurais e empresas de assistência técnica para disseminar a aplicabilidade da tecnologia.

A programação do curso na região Sul será desenvolvida em dois dias com o apoio da Embrapa Suínos e Aves, onde nesta terça-feira (9) ocorrem as atividades teóricas. Participam cerca de 80 inscritos entre técnicos, professores e secretários de Agricultura de municípios da região da AMAUC - Associação dos Municípios do Alto Uruguai Catarinense.

Na quarta-feira (10), será instalada uma unidade da Fossa Séptica Biodigestora na propriedade do produtor rural Ivo Munaretto, em Linha Aparecida, interior do município de Concórdia.

Na quinta, os responsáveis pelo curso, o pesquisador Wilson Tadeu Lopes da Silva e o analista Carlos Renato Marmo realizam palestra sobre saneamento básico rural para estudantes do Instituto Federal Catarinense (IFC).

O curso em Santa Catarina integra a quarta fase do projeto, cujas ações são realizadas com o apoio do técnico Luiz Aparecido de Godoy. A primeira fase ocorreu na região Sudeste no final de agosto de 2018, no município mineiro de Joaíma, no vale do Jequitinhonha.

A segunda fase foi executada no Centro-Oeste, na Cidade de Goiás (GO) e, em São Carlos (SP), as atividades da terceira fase foram realizadas no início de dezembro do ano passado.

O pesquisador Wilson Tadeu Lopes da Silva e o analista Renato Marmo comentam que a parceria entre as instituições tem sido fundamental para a execução do projeto que visa ampliar o número de unidades da Fossa Séptica Biodigestora nas cinco regiões do País.

“As atividades estão em consonância com as características da tecnologia do sistema de saneamento básico rural – baixo custo, fácil aplicação e replicabilidade - para o atendimento aos agricultores familiares”, diz Marmo.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink