Investir em milho da B3 rende mais que mercado financeiro
CI
Imagem: Marcel Oliveira
OPINIÃO DE ESPECIALISTA

Investir em milho da B3 rende mais que mercado financeiro

Informação é do Especialista em Contratos Futuros de Milho na B3, Emerson Almeida
Por: -Leonardo Gottems

Investir em milho na B3 está rendendo mais dinheiro que no mercado financeiro, segundo o que acredita Emerson Almeida, Especialista em Contratos Futuros de Milho na B3, em texto divulgado pela T&F Consultoria Agroeconômica. “Terminamos a semana com os preços dos contratos futuros de milho na B3 com fortes ganhos com destaque para o contrato que vence em setembro/20 CCMU20. E nesta sexta feira foi mais um dia de manutenção da força de compra. Nem mesmo o FDD, que indicava que no pregão anterior uma pequena parcela dos vendidos jogou a toalha, ativando stop loss de suas posições, foi suficiente para dar um alento na realização dos preços”, comenta ele. 

“Vimos o preço marcar abertura na casa dos 57,82, e testar a mínima do dia nos 57,53 nem acionando abaixo dos 57,50. Foi o que bastou para a força de compra passar pelos 57,90, 58,20 e 58,65, pois os preços testaram a máxima do dia nos 58,71. Depois disso o mercado ficou apático, e somente nos 20 minutos finais é que entrou um volume considerado de dinheiro e trouxe os preços abaixo dos 58,65, mas não teve força para nem para testar os 58,20, e fez fechamento em 58,40. O volume do dia em linhas gerais foi bom na casa dos R$ 138 milhões de reais”, completa. 

Além disso, a situação de estresse gerada por um único tipo de comportamento, causa desconforto em todo o sistema; afinal de contas as posições vendidas chamam margens adicionais e ajustes pesados, acendendo a luz vermelha nos departamentos de riscos das corretoras. “Para os vendedores manterem suas posições, os preços precisam trabalhar abaixo dos 58,20 57,90 57,50 57,20 56,80 56,50 e 56,10. Um ponto que pode ajudar os vendedores seria uma satisfação dos comprados em zerar parte de suas posições (tomadas de lucro) e ajudar a pressionar as cotações”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink