Agronegócio

Jaboticaba sedia 13ª edição do Fórum Regional do Cooperativismo com tema "Sucessão rural"

O Fórum Regional do Cooperativismo acontece de forma itinerante, a cada três meses, nos municípios sedes das cooperativas da região participantes do evento.
Por:
552 acessos

O Fórum Regional do Cooperativismo acontece de forma itinerante, a cada três meses, nos municípios sedes das cooperativas da região participantes do evento. O objetivo desta iniciativa é unir em um mesmo local diferentes lideranças cooperativas e associativas dos mais diversos ramos do cooperativismo para, juntas, discutir e construir alternativas que fortaleçam o espírito cooperativo na região. A Emater/RS-Ascar, através da Unidade de Cooperativismo (UCP), oferece suporte e apoio às cooperativas, no intuito de fomentar a intercooperação e capacitar os profissionais envolvidos no setor.

O Fórum este ano iniciou com uma apresentação dos alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Jaboticaba. Entre as autoridades, participaram do Fórum, representando o prefeito de Jaboticaba, o vereador, Edegar Bagiotto; o gerente do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, Francisco Frizzo; o presidente do Fórum e da Cooperativa Extremo Norte, Wagner Rogério Bohn; o presidente da Cooperjab, Irramir José Rubin Piccin; e o presidente da Sicredi Grande Palmeira, Élvis Rosetto.

Há 25 anos a Cooperjab foi criada em Jaboticaba. Hoje, são 31 funcionários e 447 associados. O presidente da Cooperjab, Irramir José Rubin Piccin, contou um pouco da história da cooperativa e do trabalho por ela realizado. Segundo o presidente, a Cooperjab foi criada para eliminar a exploração e oferecer preços justos, diversificar a produção e desenvolver as propriedades, diminuindo o êxodo rural.

Seguindo com a temática proposta nessa edição do Fórum, sucessão familiar e organizacional, a coordenadora da UCP, Márcia Faccin, apresentou dados da região, para mostrar o grande desafio das entidades e cooperativas estimulando os jovens a permanecer no meio rural. "O Território da Cidadania, formado pelos Coredes Médio Alto Uruguai e Rio da Várzea, tem o maior número de domicílios em condições de pobreza extrema e o maior número de evasão de jovens no período de 2000 a 2010. Em 10 anos a região perdeu 23,5% dos jovens", alertou Márcia. 

No Rio Grande do Sul, a população de jovens até 14 anos é de 2,23 milhões. A projeção dessa população para 2050 é de apenas 1,25 milhões. "Se quisermos uma região melhor precisamos começar hoje a construir o futuro de amanhã. Todos nós somos responsáveis pela inclusão, exclusão e permanência do jovem no meio rural", completou.

O gerente do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, Francisco Frizzo, apresentou um panorama da região, mostrando dados que apontam aspectos econômicos e sociais que oportunizaram a discussão e a construção de alternativas que proporcionem condições para que o jovem permaneça no meio rural, com renda e qualidade de vida. Frizzo apresentou ainda a proposta do Programa Regional da Juventude, organizado pela Emater/RS-Ascar.

O Programa tem o objetivo de intensificar o trabalho já realizado com os jovens rurais, levando alternativas de renda para as propriedades, oferecendo cursos e formação, visando depertar o senso crítico e espírito de liderança, mediante processos de discussão das temáticas pertinentes a realidade em que estão inseridos, visualizando na propriedade rural uma alternativa de empreender e obter renda satisfatória. "Através do Programa, vamos aprimorar o trabalho desenvolvido nos 42 municípios de abrangência da Emater nessa região, promovendo a troca de informações e experiências entre os jovens, prestando assistência técnica qualificada", afirmou o gerente.

A intenção do Programa Regional da Juventude é apresentar alternativas econômicas possíveis de serem implementadas nas propriedades rurais, de acordo com a realidadede cada jovem e com as características e vocação de cada propriedade. "Além disso, buscamos incentivar o diálogo entre os jovens e o núcleo familiar quanto à discussão dos investimentos a serem feitos na propriedade, com visão de sucessão familiar planejada. Dessa forma, conseguimos motivar e orientar o jovem a ser um empreendedor rural, capaz de transformar a propriedade em um empreendimento rural, economicamente viável e ambientalmente sustentável. São as condições que garantirão a permanência do jovem na atividade e na propriedade rural", concluiu Frizzo.

Os representantes das instituições de crédito, Sicredi, Cresol, Crehnor e Banco do Brasil, apresentaram informações sobre a liberação de crédito para os jovens e sugestão de ações que potencializem essas liberações, visando à permanência do jovem na região. Os representantes das entidades e cooperativas presentes no evento também fizeram sua manifestação.

Como encaminhamento desta edição do Fórum Regional do Cooperativismo foi constituído um grupo de trabalho, formado por representantes das entidades e cooperativas presentes no evento, com o intuito de discutir e construir ações e estrategias que serão inseridas no plano estratégico que está sendo construído pelos Conselhos Regionais do Desenvolvimetno (Coredes) Médio Alto Uruguai e Rio da Várzea.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink