JC homenageia a pesquisa gaúcha para o agronegócio

Agronegócio

JC homenageia a pesquisa gaúcha para o agronegócio

Prêmio destaca trabalho no campo
Por:
304 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Em parceria com a Fapergs, O Futuro da Terra destaca trabalho no campo

Em sua 18º edição, o prêmio O Futuro da Terra, parceria do com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), reconhece, neste ano, 12 pesquisadores e produtores cujos trabalhos representam inovações e desenvolvimento no setor primário gaúcho. A entrega dos troféus, que acontece em 1 de setembro, às 19h30min, no auditório da Federação da Agricultura do Estado (Farsul) do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, celebrará iniciativas de conservação ambiental, introdução de novas culturas e aperfeiçoamentos de técnicas em áreas como agronomia, veterinária e zootecnia. A partir de amanhã, até o dia 28, o JC divulgará o perfil dos premiados.

A premiação, cujos vencedores são escolhidos pelo Comitê de Ciências Agrárias da Fapergs, é dividida em quatro categorias: Cadeias de Produção Agrícola, Alternativas Agrícolas, Tecnologia Rural e Preservação Ambiental. Além dessas, um Prêmio Especial é destinado, anualmente, a pesquisadores de trajetórias reconhecidas no estudo do setor. "Este é um prêmio em que as categorias trazem assuntos que fazem parte da pauta do dia no segmento", ressalta a diretora presidente da fundação de pesquisa, Nádya Pesce da Silveira, que destaca a presença de projetos referentes à conservação da água e do solo entre os agraciados.

A dirigente também defende a importância da iniciativa como forma de destacar os bons exemplos tanto na agricultura quanto na pecuária que garantem o avanço no agronegócio gaúcho. "Além de dar atenção para a produção do conhecimento em pesquisas, permite também que empresas que implementam essas pesquisas sejam reconhecidas", defende Nádya. "Não só os estudos nos interessam, mas também que eles se transformem em negócios, melhorando o agronegócio, que é o segmento mais forte da economia gaúcha", continua.

Coordenador adjunto do comitê que elege os premiados, o professor da Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Cimélio Bayer, realça a abrangência da premiação, cuja finalidade é  integrar as pontas do conhecimento. "Esse prêmio não é só de pesquisa, e sim uma integração desde a pesquisa até o produtor que a está utilizando, e até as empresas que estão usando os conhecimentos gerados e repassandos aos produtores", afirma, explicando que os vencedores são decididos a partir de indicações realizadas dentro do próprio Comitê de Ciências Agrárias, composto por diversos pesquisadores da área em universidades de todo o Estado.

Para a diretora-presidente da Fapergs, o papel do Jornal do Comércio na premiação iniciada em 1997 também merece destaque por dar divulgação em suas páginas à produção científica, muitas vezes, restrita apenas ao círculo acadêmico. "Essa exposição da ciência nos meios de comunicação, que é bastante comum na Europa e nos Estados Unidos, no Brasil, infelizmente, não acontece tanto e é muito importante para a área", sustenta Nádya. Entre os vencedores de 2014, destaca-se ainda a valorização de acadêmicos que não apenas realizam estudos como também cumprem papel na renovação do quadro de pesquisadores. "Temos nomes muito conhecidos no meio por suas pesquisas, mas que também formam outras pessoas qualificadas nas áreas, por meio de orientações de mestrado e doutorado, por exemplo", arremata a dirigente.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink