La Niña pode trazer prejuízos para as lavouras
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,140 (0,73%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,00%)

Imagem: Pixabay

ALERTA

La Niña pode trazer prejuízos para as lavouras

Oposto ao El Niño, o fenômeno La Niña traz chuvas em excesso em algumas regiões e estiagem em outras
Por: -Aline Merladete
1654 acessos

Diretamente ligada ao clima, está a produção agrícola. Nesse sentido, o fenômeno climático de resfriamento das águas do Pacífico, conhecido por La Niña, pode trazer consequências desagradáveis para algumas regiões do Brasil. Oposto ao El Niño, o fenômeno La Niña traz chuvas em excesso em algumas regiões e estiagem em outras.

O clima sofre influência de vários elementos, como temperatura e massa de ar, ficando assim suscetível às alterações desses elementos. As atualizações de modelos recentes de previsões climáticas do Centro de Previsão Climática (CPC) e da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), localizados nos EUA, continuam apontando para a formação de um La Niña na primavera, que se estende até o verão de 2021. Esse fator pode, mais uma vez, interferir na safra da soja no Sul do Brasil, que em 2020 já foi afetada pela estiagem.

Por isso, especialistas alertam para a importância de se preparar e nutrir o solo, para uma estabilidade produtiva e a garantia de qualidade na lavoura. Para isso, a saída em muitas lavouras no Sul do Brasil tem sido o uso do sulfato de cálcio granulado. Diversos produtores têm constatado os benefícios de se utilizar o sulfato de cálcio na forma granulada, que atua não somente como fertilizante mineral, fonte de cálcio e enxofre solúveis, mas também como condicionador de solos.

O sulfato de cálcio age tanto nas camadas superficiais quanto nas mais profundas do solo, combatendo o alumínio tóxico e melhorando o ambiente radicular, colaborando com a construção do perfil. Na forma granulada, apresenta grandes ganhos para o produtor em termos de redução de custo e quantidade de aplicação, como explica a engenheira agrônoma e pesquisadora da SulGesso, Jussara Cristina Stinghen. “O manejo que busca a construção de perfil de solo e uma lavoura mais resistente à seca demanda cuidados com o solo durante longos períodos. Por isso é importante que o produtor invista e cuide do seu maior patrimônio, o solo, durante o ano todo; a partir da ajuda do cálcio e do enxofre - nutrientes presentes no sulfato de cálcio - o solo fica mais permeável, permitindo que as raízes se nutram com mais facilidade”, explica Jussara.

De acordo com a pesquisadora, resultados de estudos comprovam que um bom manejo com plantas de cobertura no inverno juntamente com a utilização de condicionadores de solo, como o sulfato de cálcio granulado, garantem uma lavoura de verão mais resistente à seca.
O condicionamento de solo no inverno, através do sulfato de cálcio granulado, estimula o enraizamento nas gramíneas e deixa o solo mais aerado, proporcionando maior absorção e concentração de água em profundidade. Com o solo descompactado, as raízes das plantas alcançam maiores profundidades, tendo acesso à água e nutrientes, aumentando a resistência à seca. “É importante destacar que o sulfato de cálcio granulado pode ser aplicado na cultura de inverno e na de verão, com benefícios comprovados”, explica a agrônoma.

Mesmo com provável ocorrência do La Niña, é possível minimizar os danos causados por um estresse hídrico. “O sulfato de cálcio granulado atua no aumento da porosidade do solo, promovendo sua descompactação. Plantas bem nutridas e com sistema radicular bem desenvolvido se sobressaem em condições de estresse hídrico”, finaliza a engenheira agrônoma.

*Com informações da assessoria

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink