Lançado fertilizante com formulação inédita no mercado
CI
Imagem: Pixabay
NUTRIÇÃO VEGETAL

Lançado fertilizante com formulação inédita no mercado

Auxilia a planta no processo de Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN) e na assimilação do nitrogênio
Por: -Leonardo Gottems

Acaba de chegar ao mercado brasileiro um novo fertilizante líquido que conta com formulação inédita. O Genizys, da Ubyfol, é composto por Molibdênio (Mo) de fonte nobre, com base de Molibdato de Potássio, Níquel (Ni) e um complemento de aminoácidos, que potencializam o seu efeito e tornam a sua formulação exclusiva.

Apontado como a grande aposta da multinacional brasileira neste ano, o Genizys promove o desenvolvimento inicial das culturas, principalmente em seu sistema radicular. De acordo com a fabricante, seu balanço nutricional auxilia a planta no processo de Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN) e na assimilação do nitrogênio pela planta.

De acordo com o Gerente de Desenvolvimento Técnico de Mercado, João Alves, o que torna o Genizys um fertilizante inédito é o balanço de aminoácidos contidos na formulação. “Formulação com esses nutrientes já existem no mercado, mas a Ubyfol foi além, então acrescentamos aminoácidos que complementam a ação e potencializam o efeito da formulação, especialmente quando utilizado junto ao tratamento de sementes e sulco de plantio”, explica.

Ele aponta que o produto já sai com registro de tratamento de semente para as culturas de soja, milho, feijão, algodão e está em fase final os testes na cana-de-açúcar. “O Genizys foi testado na primeira safra de soja 2019/20 e a avaliação foi muito positiva. “O produto foi testado por instituições de pesquisa, consultorias agronômicas e ainda em áreas comerciais. Alcançamos em 31 áreas comerciais a média de incremento na oleaginosa de até 2,8 sacas por hectare, trabalhando a dose de 0,15 L/ha no tratamento de semente. Logo teremos os números da cultura do milho e do algodão”, destaca.

De acordo com os especialistas da Ubyfol, o Mo é um nutriente essencial e poucas gramas por hectare são capazes de corrigir deficiências que limitam a produtividade. “Esse micronutriente é necessário para a ativação da redutase do nitrato, uma enzima que reduz o nitrato a nitrito na planta e consequentemente em Amônio, forma do nitrogênio passível de ser assimilado pela planta à aminoácidos e proteínas. Seu teor abaixo do necessário impacta diretamente na disponibilidade do macronutriente mais exigido pela planta provocando clorose das folhas e diminuição no crescimento”, explica Alves.

Já o Níquel é essencial para a ativação e constituição da urease, enzima envolvida no metabolismo do nitrogênio, e que sem o Ni, níveis tóxicos de ureia se acumulam, comprometendo o desenvolvimento da lavoura.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink