Leilão comercializa 7,6 mil toneladas de feijão
CI
Agronegócio

Leilão comercializa 7,6 mil toneladas de feijão

O governo federal já vendeu 44,5 mil toneladas do produto por meio desse instrumento
Por:

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Agricultura (Mapa) promoveu nesta quarta-feira (21-03) o sexto leilão de Prêmio para Escoamento de Produto (PEP) para feijão. Das 19 mil toneladas ofertadas, 7.630 foram arrematadas, informou o coordenador-geral de Cereais da Secretaria de Polícia Agrícola (SPA), Sílvio Farnese. O governo federal, acrescentou, já vendeu 44,5 mil toneladas do produto por meio desse instrumento neste ano – o primeiro da história em que o PEP é usado para apoiar a comercialização de feijão.

No leilão desta quarta-feira o Mapa ofertou 7 mil toneladas de feijão preto e 12 mil toneladas de feijão cores colhidas nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, além do Distrito Federal. De acordo com Farnese, foram arrematadas 2.805 mil toneladas de feijão preto e 4.825 de feijão cores.

O governo federal pagou para os arrematantes um prêmio que variou de R$ 12 a R$ 13, dependendo da unidade da Federação, por saca de 60 quilos do produto. Os participantes do leilão, disse Farnese, pagarão ao produtor R$ 47 por saca de 60 quilos. “Além disso, eles também assumem o compromisso de levar o feijão para outra região do País”.

Farnese considerou positivo o resultado do leilão de PEP, por meio do qual o governo paga um prêmio ao arrematante para que ele garanta ao produtor o preço mínimo do produto e ainda levou-o para outra região. No caso do feijão, o preço mínimo atual é de R$ 47 por saca de 60 quilos. “Como este é o primeiro ano que ofertamos feijão por intermédio de PEP, o resultado do leilão foi bom”.

O coordenador-geral de Cereais da SPA explicou que o governo resolveu testar o PEP para o feijão neste ano devido a problemas na comercialização provocados pelo excesso de chuva, que prejudicaram a remoção do produto desses seis estados e do DF. Outro fator que levou o Mapa a optar por esse instrumento foi o aumento da produção - a safra de feijão 2006/07 é estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em 3,578 milhões de toneladas.

“Os resultados dos leilões realizados até agora demonstram que o PEP tem bom potencial para apoiar a comercialização de feijão, evitando que o governo forme estoque com um produto altamente perecível”, disse Farnese. O objetivo dos mecanismos de política agrícola, como o PEP, é garantir a renda do produtor, impedindo que sofram prejuízos.

O sétimo leilão de PEP para feijão, adiantou Farnese, será realizado no próximo dia 28. Na ocasião, serão ofertados 7 mil toneladas de feijão preto e 12 mil toneladas de feijão cores.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink