Líderes agrícolas do PR aprovam Balbinotti para o ministério
CI
Agronegócio

Líderes agrícolas do PR aprovam Balbinotti para o ministério

O nome do deputado federal Odílio Balbinotti (PMDB) para o ministério da Agricultura é visto com bons olhos pelos líderes do setor no Paraná
Por:

A indicação do deputado federal pelo Paraná Odílio Balbinotti (PMDB) para ocupar o ministério da Agricultura teria sido feita pelo governador do Paraná, Roberto Requião. O sinal verde do governador de Mato Grosso, Blairo Maggi, também teria ajudado Balbinotti a ganhar a disputa interna no PMDB contra o colega Waldemir Moka (MS). Já a bancada ruralista da Câmara, segundo reportagem do jornal Valor Econômico, teria recebido muito mal a indicação.

O nome do deputado federal paranaense Odílio Balbinotti (PMDB) para o ministério da Agricultura é visto com bons olhos pelos líderes do setor agrícola do Paraná. A aceitação é impulsionada, principalmente, pelo lado empresarial do parlamentar, que como produtor de sementes do Brasil é tido como conhecedor do setor.

Para Ágide Meneguette, presidente da Federação de Agricultura do Paraná (Faep), como grande produtor de sementes, inclusive de soja transgênica, o “novo ministro Balbinotti sabe onde pisa e tem consciência do que é preciso para tirar a agropecuária da situação de dificuldades em que se encontra”, disse em nota. Meneguette acredita que na pasta, Balbinotti poderá defender os produtores em relação a uma nova renegociação da dívida rural e recuperar o status sanitário do Paraná. Além disso, o presidente da Faep espera que o Governo Federal faça investimentos na infra-estrutura de transporte, um de nossos maiores pontos fracos.

Ocepar

Para o superintendente da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), José Roberto Ricken, os principais desafios de Balbinotti no ministério serão definir os parâmetros para a produção de trigo, para alcançar a meta de 50% do consumo nacional – cerca de 6 milhões de toneladas; abaixar os juros agrícolas fixado em 8,75% - valor hoje três vezes acima da inflação; operacionalizar o seguro agrícola, definir o Plano de Safra e recuperar a sanidade animal após o efeito da febre aftosa no estado.

Apesar de todos os desafios, Ricken acredita que pela experiência como empresário, Balbinotti tem tudo para obter sucesso como ministro. “Ele é um grande produtor e sabe do assunto. Estaremos (Ocepar) à disposição dele para ajudar com estudos e no que for possível”, completou.

Fetaep

Mesmo com as ações mais voltadas para o ministério do Desenvolvimento Agrário, a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep) aprova o nome do deputado federal paranaense como novo ministro da Agricultura. Segundo o presidente da entidade, Ademir Muller, a indicação de Balbinotti foi uma surpresa agradável para o setor produtivo. Muller espera que como ministro Balbinotti seja sensível às causas da agricultura do Paraná. “Ele vive isso e é conhecedor do assunto”, resumiu. Muller ressalta ainda o efeito político do cargo para o estado paranaense. “É mais um do Paraná no ministério. Isso fortalece politicamente o estado”, diz, citando o ministro Paulo Bernardo do Planejamento como o segundo paranaense.

Ruralistas desaprovaram

Se o nome de Balbinotti foi bem aceito pelos líderes do setor agrícola do estado, a bancada ruralista da Câmara desaprovou. Para os ruralistas, Balbinotti não era o nome a ser escolhido. "Ele não tem trânsito aqui", afirmou Ronaldo Caiado (PFL-GO), um dos principais líderes ruralistas do Congresso. "Nos sentimos à vontade para criticar porque não fomos consultados".

Líderes do setor também se surpreenderam com a indicação. "Quase não tive contato com Balbinotti nos últimos tempos. Não é um nome intimamente ligado ao setor", disse o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Marcio Lopes de Freitas.

Apesar do revés dos ruralistas, Balbinotti esteve reunido com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Entre outras coisas, o deputado do Paraná explicou os dois processos que responde no Supremo Tribunal Federal (STF) – uma acusação pelo crime de falsidade ideológica em Mato Grosso, onde possui propriedades, e outro envolvendo empréstimos feitos pelo deputado em nome de "laranjas" no Banco do Brasil.

A posse de Balbinotti como ministro estava marcada para esta sexta-feira (16-03), mas foi adiada para a próxima quinta-feira (22-03).


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink