Live apresenta Boas Práticas de Fabricação de farinha
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,684 (0,11%)
| Dólar (compra) R$ 5,59 (2,18%)

Imagem: Gleilson Miranda/Divulgação

LIVE

Live apresenta Boas Práticas de Fabricação de farinha

A transmissão será no dia 18/09, às 10h (horário de Brasília), no canal da Embrapa no Youtube
Por:
580 acessos

As Boas Práticas de Fabricação de farinha de mandioca, tradicional produto da mesa do brasileiro, fazem parte da atuação da Embrapa para aperfeiçoar cada vez mais esta cadeia produtiva, que gera renda e oferece um alimento seguro ao consumidor. Uma oportunidade para conhecer as novidades e estudos relacionados ao tema será a live “Mandioca: Boas práticas de fabricação de farinha”, nesta sexta-feira, 18/09, a partir das 10h (horário de Brasília), com transmissão no canal da Embrapa no Youtube (https://youtu.be/POEx6_WG3Yo).

Esta live faz parte série de debates on line denominada “Amazônia em Foco”, onde são destacadas diversas culturas da agropecuária na Amazônia. Desta vez, especialistas de quatro unidades da Embrapa na Amazônia Legal e dois produtores de farinha vão falar sobre suas experiências de estudos e práticas, ressaltando parâmetros recomendados na produção artesanal até o beneficiamento mecanizado em agroindústrias familiares. O público poderá enviar perguntas e comentários por meio do chat de interação da transmissão.

A pesquisadora Joana Maria Leite de Souza, da Embrapa Acre, a pesquisadora Valeria Saldanha Bezerra, da Embrapa Amapá, o pesquisador José Ribamar Costa Veloso, da Embrapa Cocais (São Luís,MA), e a pesquisadora Laura Abreu, da Embrapa Amazônia Oriental (Belém,PA), vão apresentar o tema junto com os produtores Benedito Dutra Souza, produtor de farinha lavada da região de Bragança, no Pará, e Maria José da Silva Maciel (conhecida como "Véa"), produtora de farinha de Cruzeiro do Sul, no Acre.

As Boas Práticas de Fabricação (BPF) são procedimentos previstos pela legislação para assegurar as condições sanitárias adequadas no processo produtivo, visam garantir qualidade ao alimento que será disponibilizado para o mercado e saúde para o consumidor. No caso específico das BPFs para farinha de mandioca, a Embrapa Acre publicou uma cartilha contendo as orientações. Trata-se de uma publicação em linguagem acessível disponibilizada aos produtores, como parte das ações para manutenção da Indicação Geográfica obtida, de forma inédita, pela Farinha de Cruzeiro do Sul, município do Acre. A agricultora Maria José da Silva Maciel (conhecida como "Véa"), é uma das que contribuíram para esta conquista do produto feito de forma artesanal, e durante a live vai falar sobre os desafios e oportunidades para preservar a tradição e conciliar o uso de tecnologias visando garantir a qualidade e regularidade do produto.  

Durante a live, os participantes também ficarão por dentro do passo a passo para planejar uma casa de farinha. Este é o tema da cartilha publicada pela Embrapa Amapá, de autoria da pesquisadora Valeria Bezerra, na qual aborda desde a escolha da matéria-prima até o acondicionamento da farinha, passando por todas as etapas do processamento, representando uma importante ferramenta de auxílio para o farinheiro que produzir e ofertar aos consumidores um produto seguro e com perspectiva de praticar um preço diferenciado no mercado local. A tradicional farinha de mandioca foi o produto mais vendido nas feiras livres em Macapá e Santana, municípios do Amapá, nos anos de 2018 e 2019 com uma movimentação de mais de R$ 24 milhões. O montante representa 27,29% de tudo o que foi comprado nas feiras, de acordo com levantamento da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural (SDR).

Mandiotec – Agregação de valor e qualidade aos derivados da mandioca

De acordo com dados do IBGE, compilados pela Embrapa, o plantio de mandioca nas regiões do Brasil ao longo dos anos de 1990 a 2017 apresenta um quadro estabilizado, com exceção das regiões Norte e Nordeste, onde a primeira teve um aumento de quase 20% da área plantada, e a segunda, teve uma redução de mais de 20%. A Região Norte, com a segunda maior área plantada, obtém crescimento gradativo no mesmo período, passando de 17,1% em 1990 para 34,5% em 2017. Ainda no mesmo período, a região Norte lidera a produção de mandioca com 36,1% da safra nacional.

A estimativa de produção brasileira de raiz de mandioca para o ano de 2020, de acordo com a última atualização do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE (fevereiro/2020), é de 19 milhões de toneladas, cultivadas numa área de 1,36 milhão de hectares, representando uma produtividade de 14,75 t/ha. A importância desta cultura para a base econômica dos agricultores familiares na Amazônia está refletida no investimento em pesquisas e transferência de tecnologias por meio do Projeto Mandiotec (Agregação de valor e qualidade aos produtos derivados da mandioca), um dos cinco Projetos Componentes do Projeto “Tecnologias para agregação de valor e produção sustentável de mandioca por produtores familiares na Amazônia – MANDIOTEc em Rede”, liderado pela Embrapa Acre e executado em todos os estados da Amazônia Legal, exceto o Tocantins.

O MANDIOTec faz parte do Projeto Integrado da Amazônia, financiado pelo Fundo Amazônia e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em cooperação com o Ministério do Meio Ambiente, e tem como desafio promover o fortalecimento da cadeia produtiva da mandioca na região para aumento da renda e promoção da qualidade de vida das famílias rurais.

Saiba mais: 
Cartilha Boas Praticas de Fabricação de Farinha de Mandioca  
https://www.embrapa.br/acre/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1081628/boas-praticas-de-fabricacao-de-farinha-de-mandioca

Cartilha Planejando uma casa de farinha http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/70699/1/3-Planejando-uma-Casa-de-Farinha.pdf

SERVIÇO
Live Mandioca: Boas Práticas de Fabricação da Farinha

Data: 18/09/2020

Horário: 10 horas (horário de Brasília)

Onde: Canal do Youtube da Embrapa - https://youtu.be/POEx6_WG3Yo


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink