Maior Concentração Industrial de Equipamentos está em Panbambi

Agronegócio

Maior Concentração Industrial de Equipamentos está em Panbambi

Por: -Admin
1 acessos

Panambi e Condor, no Rio Grande do Sul, Reúnem a Maior Concentração Industrial de Equipamentos para Secagem, Armazenagem e Transporte de Grãos do País

Dois municípios do Rio Grande do Sul que juntos não chegam a somar 50 mil habitantes, agrupam cerca de 80 empresas constituídas no Arranjo Produtivo Local - APL Metalmecânico Pós-Colheita. Panambi e Condor, ambas situadas no noroeste colonial riograndense, a cerca de 400 km de Porto Alegre, a capital gaúcha, têm em comum a origem germânica e o espírito empreendedor, que faz de cada emprego industrial um embrião de um futuro negócio. Em 2003, a economia de Panambi cresceu em 34%, enquanto Condor vem apresentando um crescimento médio que beira os dois dígitos nos últimos anos.

A sinergia de ações entre empresas e entidades da iniciativa privada, poder público e instituições de ensino tem metas ambiciosas, traçadas com base no potencial produtivo da microrregião e na realidade do mercado em que se insere o APL. Em nível interno, o espaço de crescimento é balizado pela carência de infraestrutura de estocagem de grãos no Pais, cuja capacidade não alcança 80% da safra anual. Outra oportunidade promissora é a reserva de 90 milhões de hectares em novas fronteiras agrícolas, considerando um aproveitamento sem danos ambientais. Hoje, a safra brasileira é colhida em 60 milhões de hectares e a produtividade no campo é crescente. No mercado externo, o foco é a América Latina, aproveitando vácuos na produção industrial do setor nos paises do Mercosul, além do Chile, Venezuela e México.

A potencializaçao do APL Pós-Colheita envolve a mobilização dos agentes locais, com apoio de entidades como SEBRAE/ RS e SENAI/ RS, além da captação de recursos federais através do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Em um período de aproximadamente 3 anos, o projeto necessitará de investimentos na ordem de R$ 2,5 milhões. O planejamento estratégico do APL contempla a implantação de uma central de compras, de um centro de inovação tecnológica e de empreendedorismo, de uma agência de desenvolvimento e de programas de treinamento e capacitação profissional, a criação de um grupo de apoio político-empresarial, a definição de uma estratégia de marketing e o desenvolvimento de ações ambientais.

Um dos Maiores Pólos de Descentralização Industrial do RS

Números generosos traçam o perfil do Arranjo Produtivo Local Metalmecânico Pós-Colheita Panambi-Condor/ RS, que reúne um PIB de meio bilhão de reais e abriga uma população cuja renda per capita ultrapassa a casa dos R$ 12,3 mil. Da produção local, que transforma mais de 150 mil toneladas/ ano de chapas de aço, em torno de 80% é colocada no mercado brasileiro e os 20% restantes se destinam ao exterior, proporção que o APL quer mudar, transformando a região num referencial de nível mundial na indústria do pós-colheita.

A pujança econômica do setor metalmecânico na microrregião tem reflexos sociais na geração de empregos e na receita pública, fonte de investimentos em serviços essenciais à comunidade e melhoria da qualidade de vida. Em Panambi, o setor emprega mais de 8 mil trabalhadores de uma população estimada em 37 mil habitantes, e responde por mais de 50% do PIB do município, que nos últimos 3 anos ampliou seu distrito industrial a uma média de 38 terrenos em obras de urbanização, a cada uma de 3 etapas. Em Condor, as duas indústrias metalmecânicas que se inserem no APL respondem por 500 empregos diretos, para uma população de 6,5 mil habitantes.

Formação Profissional, ponto forte do

Arranjo Produtivo Local

Entre os diferenciais que caracterizam o APL Metalmecânico Pós-Colheita Panambi-Condor/ RS, um vem de berço: a preocupação com o ensino formal e profissional. Já na década de 40 , o Colégio Evangélico Panambi, que chegou ao centenário em 2003, oferecia cursos profissionalizantes em metalmecânica e madeira. Hoje, a instituição forma 200 alunos em cursos técnicos a cada ano, número que dobrará até 2006. Além disso, em 2005 o CEP implantará um curso técnico especializado em pós-colheita.

O APL Metalmecânico Pós-Colheita conta, também, com o Centro de Formação Profissional SENAI/ Panambi. Com 2,1 mil matrículas em 2003, 85% delas concentradas em cursos do setor metalmecânico, a instituição investiu R$ 1,8 milhões na compra de equipamentos para a implantação de um curso de mecânico formador de peças de metal, cuja primeira turma de alunos deu a largada em julho de 2004.

A preocupação com o ensino mobilizou a comunidade para trazer à Panambi um Campus Avançado da Unijui, universidade sediada no vizinho município de Ijui. O principal curso de graduação ministrado não poderia ser outro: Engenharia Mecânica. Um dos destaques da instituição é o Centro de Inovação Tecnológica, tocado em parceria com outras instituições locais. Em função do APL, esse Centro está sendo transformado em uma Organização de Interesse Publico - OCIP - que terá como denominação Associação Centro de Inovação Tecnológica e Empreendedorismo - ACITEC.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink