Mais produção com intensificação na produção de carne bovina para os produtores do MT

Agronegócio

Mais produção com intensificação na produção de carne bovina para os produtores do MT

Mais produção com intensificação
Por:
1308 acessos

Em sua sexta edição, o Acrimat em Ação 2016 falou da intensificação na produção de carne bovina para os produtores do Estado que detém mais de 24 milhões de hectares de pastagens e um rebanho de 29 milhões de cabeças de gado. O projeto promovido pela Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) foi a campo e reuniu 5,4 mil participantes em palestras sobre a produtividade, eficiência e qualidade genética. Após percorrer os 30 municípios do circuito, de março a maio desse ano, o engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Armindo Kichel, afirma que o Estado pode dobrar seus números. “Só com intensificação é possível aumentar em 50% esse rebanho. Mato Grosso está pronto em clima, solo e tecnologia para ser o maior exportador de carne para o mundo. Com eficiência nas práticas pecuárias e qualidade para conquistar vários mercados. Ganha produtor e ganha consumidor”, afirma Kichel.

A intensificação foi um tema estrategicamente escolhido para o Circuito, já que o panorama pecuário realizado em 2015, também durante o projeto, indicou que 37% dos produtores têm investido em reformas de pastagens. O foco foram custos da pecuária de corte, rentabilidade e tecnologias de custo zero, àquelas que precisam apenas de conhecimento e decisão. As práticas destacadas foram escolha de forrageira, formação de pastagem, bom manejo e colheita eficiente de pastagem e o descarte de animais de baixa produção. Outro ponto alto da palestra de Kichel foi a relação custo x benefício da produção. Segundo o presidente da Acrimat, José João Bernardes, a busca pelo aumento da produtividade deve ser contínua. “Nós levamos informações a campo, para que ela se transforme em conhecimento e desenvolva ainda mais o negócio”, destacou Bernardes.

Para o produtor Antônio Sobral, do Grupo Sobral de Marcelândia, esse cenário já é realidade. Com um total de 6 mil hectares, desde 2013 ele adotou a intensificação gradativa, a cada ano ele reforma 400 hectares de pastagens e já triplicou a produção nessas áreas. “Colocamos tudo na ponta do lápis. Antes colocávamos 1,5 cabeça por hectare, hoje temos 5 a 6 cabeças por hectare nessas áreas reformadas”, destaca Antônio.

Para o gerente de negócios do Grupo Emal, Wendel Rodrigues, os últimos quatro anos denotam uma mudança no perfil do pecuarista mato-grossense sobre os investimentos nas propriedades. “A correção de solo na pecuária foi um tabu durante anos. Com as novas pesquisas, análises de solo, o produtor foi percebendo essa necessidade. A integração Lavoura-Pecuária também ajudou. Hoje nossa perspectiva é de que 20% dos nossos clientes sejam da pecuária, o que em 2012, não chegava a 2%”, destaca Wendel.

DEMANDAS - Além de conhecimento, o Acrimat em Ação ainda capta demandas específicas regionais, como é o caso da logística. Apesar das melhorias observadas, o Estado ainda necessita de investimentos. Segundo Andelino Rossi, presidente do Sindicato Rural de Nova Bandeirantes, que fica a 1.055 quilômetros de Cuiabá, o gado viaja até seis horas para chegar ao frigorífico mais próximo e as perdas são consideráveis. “A logística é o carro-chefe da perda do lucro. A perda média é de 3%, chega a uma arroba de peso vivo”, ressaltou Andelino.

O superintendente da Acrimat, Francisco de Sales Manzi, que liderou a comitiva, reforça que o trabalho do Acrimat em Ação é crucial no desenvolvimento desses assuntos do setor. “Visitar os municípios, trazer informações e ouvir as demandas de cada região é o grande ganho do Acrimat em Ação. Todo ano relatamos as demandas às autoridades competentes e acompanhamos seu desenrolar. As atitudes e respostas para essas questões da pecuária são resultados dos levantamentos e do posicionamento oficial da Associação”, reforçou ele.

Além de toda estrutura de realização, o Acrimat em Ação ainda traça um panorama estadual da pecuária. Em parceria com o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) são aplicados questionários estratégicos sobre os temas do setor. Como resultado dessa pesquisa, no ano passado o Panorama Pecuário de MT, apontou um crescimento de 70% na produtividade arroba/hectare nos últimos 10 anos. Para 2016, mais de dois mil e duzentos formulários de pesquisa foram captados e em outubro, a Acrimat lança seu segundo Panorama.  

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink