Mantido o processo de suco de laranja
CI
Agronegócio

Mantido o processo de suco de laranja

Por:

A disputa entre o Brasil e os Estados Unidos sobre a taxação das importações de suco de laranja pode ganhar novos rumos. A decisão por parte do governo da Flórida de reduzir a taxa de importação em 30% pode abreviar o processo aberto pelas indústrias brasileiras contra o governo da Flórida, através de painel instalado junto à Organização Mundial do Comércio (OMC). "Como a Flórida já se mostrou disposta a abrir mão de parte da taxa, pode querer não continuar a disputa", avalia Ademerval Garcia, presidente da Associação Brasileira dos Exportadores Cítricos (Abecitrus). Há cerca de seis meses, o Brasil propôs um painel contra a Flórida onde acusa o estado norte-americano de prática discriminatória por conta da imposição da taxa de U$ 40 por tonelada de suco de laranja que ingressa no estado. Se levado ao fim, o processo será concluído em doze meses.

Briga interna

Simultaneamente ao processo brasileiro, a indústria e produtores norte-americanos também reclamam contra o governo do estado a cobrança de taxas abusivas.

"O estado fez um acordo com a industria e produtores locais para reduzir em um terço o valor da taxa, o que indiretamente beneficia a indústria brasileira, mas esse acordo, para funcionar de fato, precisa ser convertido em lei", afirma o presidente da entidade.

Garcia entende que a redução da taxa é uma boa alternativa, "mas é uma solução intermediária". Segundo ele, a indústria brasileira somente pretende interromper o processo caso a taxa seja integralmente extinta.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.