Mapa diz que a prioridade deve ser para Mato Grosso

Agronegócio

Mapa diz que a prioridade deve ser para Mato Grosso

Com crise ou sem crise, planos de investimentos ao Estado estão garantidos, afirma Biramar Nunes
Por:
194 acessos

O secretário executivo da Câmara Temática de Infraestrutura e Logística do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Biramar Nunes de Lima, afirmou em Cuiabá que Mato Grosso deverá ganhar prioridade do governo federal nos investimentos em transporte. “O ministro [Reinhold Stephanes} tem uma prioridade em infraestrutura e logística. E esta prioridade deve ser dada para Mato Grosso, que é o Estado que vem apresentando os maiores índices de crescimento e expansão agropecuária nos últimos anos”, afirmou Lima.

A declaração do representante do Mapa foi feita durante o evento Bienal dos Negócios da Agricultura, realizada na semana passada, no Cenaruim Rural, na Capital. Segundo Biramar Lima, os desafios do Brasil para os próximos anos são enormes e a crise vai passar. “Com crise ou sem crise, vamos manter nossos planos de investimentos e os principais projetos voltados à logística”, garantiu.

Ele fez uma projeção de crescimento para a safra brasileira nos próximos dez anos e previu expansão de 28,70% na produção, que deverá saltar das atuais 139,7 milhões de toneladas para 179,8 milhões de toneladas. Mantida a mesma projeção para Mato Grosso, a produção de soja pularia de 17,7 milhões de toneladas para 22,65 milhões de toneladas.

“O grosso da produção brasileira, sem dúvida, será na região Centro-Oeste. Mato Grosso vai comandar esta produção e, o que é mais importante, dentro das normas de sustentabilidade. Aliás, não é preciso derrubarmos mais nada para atingirmos esta produção”, frisou Lima.

Ele garantiu que em um período de 10 a 20 anos o Brasil inteiro terá todos os modais funcionando “para chegarmos a uma equação exata e podermos diferenciar os preços do frete entre uma modalidade e outra. Desta forma, o produtor poderá tomar a melhor decisão para escoar sua safra”.

Lima afirmou que os grandes projetos de logística estão “caminhando dentro do cronograma definido pelo Ministério dos Transportes”. Ele citou, como prioridades do governo federal, a conclusão da pavimentação das rodovias BR-163 e BR-158. “São duas rodovias importantes ao escoamento da nossa produção e para promover a integração regional”, argumentou.

Para o secretário executivo do Mapa, a cadeia do agronegócio não pode ficar refém de nenhum modal de transporte e de nenhum porto. “Só vamos sossegar quando estivermos com a situação em todas as regiões totalmente resolvida. O produtor precisa de modais competitivos e estamos trabalhando na implantação de um sistema perfeito, que garanta o melhor custo-benefício no transporte da produção agrícola até aos portos exportadores”.

Biramar Lima reconheceu que sem uma logística competitiva não haverá como o produtor ter renda. “O problema da falta de competitividade é um problema crônico da região Centro-Oeste, devido aos altos preços do frete. Precisamos baixar os custos da logística mediante um sistema de transporte intermodal eficiente para que o produtor possa melhorar e recuperar sua renda”, frisou.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink