Maquinários geram negócios
CI
Agronegócio

Maquinários geram negócios

Em nove dias de exposição, que terminou ontem, foram movimentados R$ 4 milhões nesse segmento
Por:
Em nove dias de exposição, que terminou ontem, foram movimentados R$ 4 milhões nesse segmento


Os recordes vividos na safra 2011/2012, tanto na produção de grãos quanto no preço das commodities,  principalmente na saca da soja que está em média a R$ 65, auxiliaram na superação de vendas de máquinas pesadas na 48ª Expoagro – Exposição Internacional, Agropecuária, Industrial e Comercial de Mato Grosso –, em Cuiabá, que encerrou ontem. Alguns concessionários de máquinas agrícolas devido o bom momento em nove dias de festa já venderam mais de R$ 4 milhões. Uma colheitadeira em média custava R$ 700 mil. Segmento revela apostar ainda no pós-Expoagro com alta de 30% nas vendas.


A 48ª Expoagro é realizada pelo Sindicato Rural de Cuiabá e pela Fabinho Promoções. Conforme a Folha do Estado já comentou, a organização estima que a perspectiva de R$ 40 milhões gerados em negócio durante os 11 dias de festa seja ultrapassada. “As vendas de equipamentos estão aquecidas devido o bom momento da  economia de Mato Grosso. Alguns chegam a encomendar o produto”, salienta o presidente do Sindicato Rural de Cuiabá, Jorge Pires.

A expectativa da Vegrande, concessionário New Holland Agriculture, era comercializar 20% a mais de máquinas que o ano passado dentro da Expoagro. Segundo o proprietário da Vegrande, Walter Zacarkim, a estimativa já foi superada. “Cerca de 12 tratores foram vendidos no parque de exposições este ano. Em 2011 foram nove. O preço recorde da soja é a chave disso. Ano passado nesta época a saca estava cotada a R$ 42 e este ano R$ 65. Com a soja nestes patamares, os produtores estão conseguindo quitar um pouco de suas dívidas ao mesmo tempo que adquire insumos para a próxima safra e renova a frota de máquinas”. Um trator vale em média R$ 150 mil.


Além do momento vivido na produção agrícola, o proprietário da Agroshop, concessionário John Deere, Ernandes Vendrame, salienta que as eduções das taxas de juro auxiliaram para o crescimento das vendas. “Já vendemos na feira mais de R$ 4 milhões em máquinas. Foram três colheitadeiras e sete tratores. O produtor está aproveitando os benefícios da redução das taxas de juros para investir em tecnologia”. Vendrame comenta que em média uma  colheitadeira custa R$ 700 mil.

PÓS-FEIRA
A Expoagro terminou ontem e o setor de máquinas pesadas já faz suas apostas no pós-festa. Zacarkim acredi- ta em 30% de aumento nas vendas assim que a feira acabar. “Muitos passam pelo estande para conferir e após a festa nos procuram para fechar negócio”, comenta.


A 48ª Expoagro teve início no dia 5 de julho. A expectativa da organização é que 300 mil pessoas durante as 11 noites de festa tenham passado pelo Parque de Exposição Jonas Pinheiro. Ao todo, 26 shows foram realizados, dos quais 10 nacionais, com ritmos que variam do sertanejo ao rock e forró. E cerca de 10 mil empregos foram gerados direto ou indiretamente.

Nos 11 dias de festa mais de 30 mil animais circularam pelo local, entre bovinos, caprinos, equinos, entre outros.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink