Matéria orgânica do solo combate HLB em citros

Imagem: Pixabay

PESQUISA

Matéria orgânica do solo combate HLB em citros

Infecção começa nas folhas mas prejudica as raízes
Por: -Leonardo Gottems
3182 acessos

Uma análise recente da qualidade do solo realizada por uma equipe de pesquisadores da Colorado State University (CSU), dos Estados Unidos, demonstrou que baixos níveis de matéria orgânica do solo (SOM) na Flórida podem deixar as árvores cítricas mais suscetíveis à progressão dos sintomas do huanglongbing (HLB). Após anos de propagação irrestrita, agora é assumido que quase todas as árvores na Flórida têm algum nível de infecção por HLB. 

No entanto, não se sabe por que a progressão de assintomática para sintomática varia amplamente. A infecção começa nas folhas, mas o patógeno limitado ao floema, Candidatus Liberibacter asiaticus, é rapidamente transportado para as raízes, onde, ao longo de meses a anos, causa perda de raiz fibrosa e uma mudança na diversidade do microbioma da rizosfera. Isso significa que menos micróbios que trocam nutrientes, suprimem doenças, mantêm o equilíbrio hormonal das plantas e controlam o desenvolvimento radicular são encontrados na rizosfera das árvores infectadas pelo HLB. 

As bactérias da rizosfera benéfica prosperam com os vários compostos orgânicos (açúcares, ácidos orgânicos e aminoácidos) que emanam das árvores saudáveis através das raízes. 20% a 40% dos produtos fotossintéticos de uma planta são normalmente excretados como exsudatos radiculares, segundo os pesquisadores. Em uma árvore infectada com HLB, o bloqueio do floema dificultaria o transporte desses produtos das folhas e levaria a mudanças significativas na qualidade e quantidade dos exsudatos das raízes. 

Essas flutuações podem eventualmente mudar a comunidade microbiana em favor de bactérias que degradam mais eficientemente os compostos orgânicos maiores naturalmente presentes no solo. Mas na Flórida, a quantidade desse substrato alimentar de reserva é limitada e pode ser rapidamente reduzida para níveis prejudiciais. 

“Nossa hipótese é de que o sucesso dos produtores em reviver os bosques devastados pelo HLB adicionando compostos orgânicos ao solo (por meio de culturas de cobertura, composto ou biocarvão) é porque eles estão suplementando a rizosfera com substratos de carbono que as bactérias HLB limitadoras do floema impediram a árvore de fornecer. Embora seja sabido que o SOM é parte integrante do crescimento da cultura, nossos resultados enfatizam a importância adicional que o manejo do SOM tem em uma citricultura afetada pelo HLB, especialmente em solos com níveis naturalmente baixos de SOM”, concluem. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink