Mato Grosso segue como o campeão de queimadas no país

Agronegócio

Mato Grosso segue como o campeão de queimadas no país

Em todo o país, os focos de calor aumentaram 160%
Por:
1411 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Mato Grosso segue como o campeão de queimadas no país. Com mais de 16 mil focos de calor no ano, o Estado registrou uma alta de 15% em relação ao ano anterior. Em todo o Brasil, as queimadas aumentaram 160%.

Conforme dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Mato Grosso foi o estado mais atingido por incêndios, seguido pelo Pará e Maranhão. Os três somam quase 44% do total de focos ao longo do mês. O município de São Félix do Xingu, no Pará, foi o que mais teve registros de queimadas, com 551 focos, apenas em setembro.

Apesar de estarmos antes da primeira quinzena de setembro, Mato Grosso já atingiu 50% das queimadas registradas em todo setembro de 2013. Segundo o Inpe, foram contabilizados 2.790 focos de calor no mês, enquanto todo o mês de setembro de 2013 o Estado havia registrado 5.576 focos de queimadas e incêndios.

Segundo o Inpe, em setembro, foram registrados 15.622 focos de incêndio em todo o Brasil. O número representa 160% a mais do que o mesmo período de 2013, quando o Instituto havia registrado 5.946.

De janeiro a setembro do ano passado, o Inpe havia captado 14.326 incêndios no Estado. Em 2014, Mato Grosso registrou 16.492 focos, um aumento de 15%.

Faltando mais três meses de aferição, o Estado já encostou no número total de focos registrados no ano passado. Em todo o ano de 2013, Mato Grosso havia contabilizado um total de 17.823 focos de calor.

Conforme a assessoria do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o aumento dos registros se deu em virtude da condição climática (tempo muito seco) e o acúmulo de matéria orgânica, decorrente da redução das queimadas do ano anterior.

Nas zonas rurais, o fogo ainda é usado para limpeza de áreas destinadas a agricultura e pecuária, incluindo a renovação de pastagens. Enquanto nas cidades, muitas pessoas ainda cultivam o péssimo hábito de queimar lixo.

Conforme técnicos do Ibama, as queimadas dentro do perímetro urbano são terminantemente proibidas em qualquer mês do ano, enquanto nas demais regiões o período proibitivo das queimadas vai de julho a setembro, podendo ser prorrogado conforme a situação climática dos estados.

Para o Ibama, é considerado incêndio o fogo que se espalha sem controle pelas florestas e matas, originado ou não pelo homem. Já as queimadas têm a presença direta do homem e são utilizadas, principalmente, para trabalhar determinada área para plantio ou pecuária. Os biomas amazônico e cerrado totalizam 87% do volume de queimadas e incêndios em todo o território nacional.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink