Médica-veterinária da Ourofino comenta sobre diagnóstico da dor em animais de companhia

Agronegócio

Médica-veterinária da Ourofino comenta sobre diagnóstico da dor em animais de companhia

Dentre as soluções disponíveis no mercado para tratamento dos pets, empresa destaca o analgésico Nulli
Por:
732 acessos

Dentre as soluções disponíveis no mercado para tratamento dos pets, empresa destaca o analgésico Nulli
 
A avaliação e o diagnóstico da dor em cães e gatos são situações desafiadoras para médicos-veterinários, afinal, os pets não conseguem comunicar verbalmente qual o desconforto e muito menos direcionar o atendimento. A tarefa complexa exige atenção dos especialistas, além de conhecimento e interação com os donos dos animais. A analista técnica da Ourofino Pet Juliana Trigo orienta que o auxílio dos proprietários durante a consulta é de suma importância, já que eles conseguirão pontuar as alterações comportamentais do companheiro de quatro patas.
 
Antigamente, acreditava-se que os animais não sentiam dor ou que possuíam mais resistência do que os seres humanos. Atualmente, já se sabe que sofrem de forma semelhante às pessoas. Esse fato ocorre porque existe uma similaridade entre as estruturas e os mecanismos envolvidos na percepção do estímulo doloroso.

A dor afeta de maneira negativa a qualidade de vida e as funções fisiológicas, por isso quanto mais cedo identificada e tratada, melhor será para a recuperação. “De acordo com a intensidade, pode ser classificada em leve, moderada, intensa (severa) ou torturante. Com isso, o comportamento do pet altera conforme o grau do desconforto. Tanto o dono quanto o médico-veterinário precisam considerar todos os sintomas para o diagnóstico ser preciso e proporcionar alívio ao animal”, afirma Juliana.
 
Falta de mobilidade, tendência a se esconder, inutilidade de uma parte do corpo, alterações na personalidade, perda de apetite, tristeza, latidos ou miados contínuos e automutilação são algumas características a serem observada no dia a dia. Já no consultório, o profissional notará alterações fisiológicas como aumento da frequência cardíaca em repouso, tendência à constipação, dilatação pulmonar e hipertensão.  
 
A especialista técnica da Ourofino Pet reforça aos médicos-veterinários: “Por meio das escalas para avaliação e mensuração da dor, o diagnóstico pode tornar-se mais preciso. Alguns exemplos de escalas mais conhecidas são Simples Descritiva, Avaliação Numérica e Visual Analógica. Para isso, é preciso ter práticas e conhecimentos aprimorados continuamente”. Ela também comenta que a boa relação dos profissionais com seus clientes é outro fator de influência nas consultas, permitindo orientações mais claras e precisas.
 
Para o tratamento, os especialistas estipulam protocolos terapêuticos segundo a intensidade da dor. Lançado em junho deste ano pela Ourofino Saúde Animal, o Nulli é uma das soluções indicadas para essas situações. Sendo um analgésico opioide oral à base de Tramadol, ele atua inibindo as vias de transmissão dos estímulos dolorosos. “Isso faz com que o Nulli auxilie médicos-veterinários no controle de dores agudas e crônicas de forma segura e fácil. É um medicamento eficiente para utilização em clínicas e em cirurgias de cães e gatos”, orienta Juliana.
 
Dentre as possíveis utilizações, a associação de Nulli com opções da Linha Maxicam, também da Ourofino, e outros farmacos com finalidade analgésica promovem abordagem terapêutica assertiva e efetiva para diversos graus de sensibilidade. Assim como em procedimentos cirúrgicos, em que o uso associado a demais sedativos garante segurança e bem-estar dos animais.
 
Além de fabricar produtos que contribuam para a saúde e bem-estar de cães e gatos, a empresa também se preocupa com a capacitação daqueles que atuam no segmento, por isso a realização anual da Caravana Ourofino, que leva informação para a melhoria do mercado pet e promove capacitações gratuitas. Neste ano, a iniciativa promoveu 40 encontros, em mais de 20 cidades percorridas, e contou com a presença da Dra. Karina Yazbek, que abordou um tema de sua especialidade: dor crônica em animais.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink