Agronegócio

Mercado de erva-mate volta a crescer no PR

Baixa oferta nos últimos 10 anos e demanda equilibrada elevam os preços do produto
Por:
979 acessos
Baixa oferta nos últimos 10 anos e demanda equilibrada elevam os preços do produto

Depois de um longo período em queda, o mercado de erva-mate volta a ganhar força no Paraná. O Valor Bruto de Produção (VBP) da planta registrou em 2012 um crescimento de 22% em relação a 2011, puxado principalmente pelo aumento de 12% no preço do produto, segundo dados do último levantamento realizado em setembro pelo Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab).


De acordo com Rosiane Cristina Dorneles, engenheira florestal da Seab, depois de muito tempo de preços baixos, os produtores passaram a não investir mais em suas lavouras. Nos últimos 10 anos, a produção anual de erva-mate se manteve estável, na casa dos 300 mil toneladas por ano, havendo pequenas quedas em volume. Com a demanda inalterada, Cristina diz que começou a faltar produto no mercado, o que resultou na elevação dos preços.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2012 o valor da arroba (15 quilos) do mate na indústria fechou a R$ 8, contra R$ 7 registrado em 2011. O Valor Bruto de Produção (VBP) saiu da casa dos R$ 150 milhões em 2011 para quase R$ 200 milhões em 2012. Enquanto isso, a produção no mesmo período subiu apenas 500 toneladas, fechando 2012 com 8,5 mil toneladas.

O último levantamento do Deral apontou que, em 2013, o preço da erva-mate no pé subiu 62% e, no varejo, 40%, na comparação com 2012. O valor da arroba do produto no pé passou de pouco menos de R$ 8 em 2012 para um pico de R$ 12 em 2013. Para a indústria, a arroba chega a ser comercializada a R$ 14, contra um pouco mais de R$ 8 no ano passado. No varejo, o valor da erva-mate saltou de R$ 4,50 o quilo para cerca de R$ 6 o quilo.


Com a subida nos preços, Rosiane observa que os produtores estão animados em investir novamente nas lavouras de erva-mate. Ela destaca que a perspectiva é de que os valores continuem em alta porque há falta de mudas disponíveis no mercado, problema que está preocupando indústria e produtores.

Até agora, de acordo com a especialista, as indústrias paranaenses têm reduzido sua margem de lucro para permanecer na atividade. Porém, se houver investimentos nas lavouras, espera-se uma melhora no setor. Atualmente o Paraná conta com 35 mil hectares de área plantada com erva-mate, principalmente na região sul. Segundo o Deral, o Estado é o segundo maior produtor do Brasil, ficando atrás do Rio Grande do Sul. Em todo o Brasil, a área de cultivo com erva-mate soma 75 mil hectares.

A produção está presente em 151 municípios paranaenses. Os principais são : União da Vitória, Irati, Guarapuava, Ponta Grossa e Pato Branco, que respondem por 89% do VBP da erva-mate no Estado. União da Vitória lidera o ranking de VBP com 57% de participação.


Além do aumento dos preços pagos aos produtores, o último levantamento realizado pelo Deral aponta como ponto positivo a possibilidade aberta pelo novo Código Florestal de recuperação e exploração econômica da erva-mate em reserva legal com espécies exóticas e nativas.

PIS/Cofins
Com o objetivo de fomentar a indústria de erva-mate, a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados realiza hoje, em Brasília, uma audiência pública para debater a isenção da cobrança de PIS e Cofins sobre o produto.



Ricardo Maia
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink