Mercado de trigo segue morno
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,782 (-0,26%)
| Dólar (compra) R$ 5,38 (2,78%)

Imagem: Marcel Oliveira

ESTIMATIVAS

Mercado de trigo segue morno

Em Santa Catarina, o mercado ainda está muito lento
Por: -Leonardo Gottems
336 acessos

De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, no Rio Grande do Sul, nem vendedor, nem comprador estão apressados em negociar a próxima safra de trigo no estado. “Vendedores de lotes (a  maioria  sobra  de  semente)  pedem  R$  1.350,00  FOB interior, para trigo eventualmente disponível um preço que não condiz com os preços atuais das farinhas e só pode ser admitido dentro de um preço médio bem menor”, comenta. 

Em Santa Catarina, o mercado ainda está muito lento, “mas nossa recomendação continua sendo a de que garantam seus estoques futuros. Os moinhos catarinenses estão todos abastecidos até a próxima safra e estão acompanhando as safras do seu estado e dos estados vizinhos, de quem dependem para completar o seu abastecimento. Por enquanto, a movimentação para safra nova é ainda lenta, praticamente nula, até porque muitos moinhos são de cooperativas e tem assegurado o fornecimento da matéria prima”, indica. 

O Paraná recebeu ondas de frio e chuva e começa a prestar atenção em possíveis danos. “A recente onda de chuvas e frio intenso, iniciadas neste fim de semana sobre o Paraná poderá causar sérios danos às lavouras, que se encontram, em cerca de 77%, nas fases de perfilhamento, justamente as mais sensíveis aos danos climáticos. Os técnicos estão atentos nos campos e nós iremos apresentar relatórios durante toda a semana”, completa. 

Em Minas Gerais, existem algumas estimativas de colheita de 330 mil toneladas no estado, mas que especialistas locais, que percorrem as lavouras, não corroboram. “Falam em, no máximo, de 250 mil toneladas, das quais 50% já estariam colhidas. Preços continuam ao redor de R$ 1.100,00/t.  O estado vai precisar comprar fora quase o dobro do que produz, para atender às suas necessidades de moagem, já que tem o segundo maior parque consumidor de farinhas do país e precisaria se apressar para garantir sua matéria prima”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink