Mercado do carbono está ao alcance dos produtores rurais

Agronegócio

Mercado do carbono está ao alcance dos produtores rurais

Os resíduos de criações animais podem render dividendos aos produtores rurais
Por: -Fernanda Mazzini
4 acessos

Os resíduos de criações animais - de suínos, bovinos confinados e de frangos - podem render dividendos aos produtores rurais. Além de contribuir com a questão ambiental, se tratados, dejetos de animais podem amortizar os custos da propriedade através da comercialização de créditos de carbono ou da geração própria de energia elétrica a partir do gás metano. O mercado dos créditos de carbono foi criado a partir da regulamentação do Protocolo de Kyoto e, apesar da não adesão dos Estados Unidos, há muito potencial para crescimento.

Atualmente, a cotação do crédito varia de US$ 15 a US$ 20 por tonelada equivalente a não liberação de gás carbônico. No entanto, a estimativa é que esse valor chegue a US$ 100 entre 2008 e 2012. A partir do tratamento dos resíduos animais, há a geração do biogás, que é composto por 50% a 70% de gás metano. O gás metano tem um efeito poluidor 21 vezes maior do que o gás carbônico e os créditos podem ser convertidos a partir da não emissão do metano na atmosfera. A conversão do metano em gás carbônico é feita com a queima.

Esse processo não evita a poluição, apenas minimiza e não é a solução final para o problema, salienta Airton Kunz, pesquisador da Embrapa Suínos e Aves na área de avaliação de impactos ambientais. Ele acrescenta que o biogás é semelhante ao gás natural (que é composto por mais de 90% de metano), mas o gás gerado tem maior concentração de impurezas, como amônia e gás de enxofre. Esses dois resíduos também devem ser tratados a partir de consórcios formados com outras culturas e respeitando a capacidade de absorção desses elementos pelo solo.

No Brasil, o setor que mais tem aproveitado e avançado o mercado do carbono é o sucroalcooleiro, que tem usado como combustível o bagaço da cana-de-açúcar para suas caldeiras. Desta forma, o segmento evita a utilização de combustíveis fósseis, que são finitos.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink