Agronegócio

Metas argentinas para uso de álcool estão em xeque

Exportação pode interferir nas metas do país de contenção da inflação e de produção de álcool a partir do milho
Por: -Cibelle Bouças
2 acessos
A valorização nos preços internacionais do milho também provocou um "surto" de declarações de exportação do grão na Argentina, o que levou o governo do país a suspender temporariamente o registro de declarações juradas. Em entrevista concedida por telefone de Buenos Aires, Patricio Lamarca, chefe de gabinete da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Alimentos da Argentina, afirmou que o volume "inusual" de declarações de exportação - 10,5 milhões de toneladas da safra 2006/07, que começa a ser colhida em março, quando a média histórica para o período é de 800 mil - pode interferir nas metas do país de contenção da inflação e de produção de álcool a partir do milho.


"O país tem projetos para ampliar a produção de álcool principalmente a partir do milho e, certamente, essa mudança no quadro de exportações produz efeitos no mercado interno. Além disso, a Argentina vive um processo de expansão da economia, que tem a redução da inflação como um dos objetivos centrais. São muitas as dimensões que o governo teve que considerar para tomar essa decisão", afirmou Lamarca ao Valor.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink