Milhete pode ser a solução dos desertos
CI
Imagem: Marcel Oliveira
ALTERNATIVA

Milhete pode ser a solução dos desertos

"A Península Arábica abriga 80 milhões de pessoas e precisa importar 90% de seus alimentos"
Por: -Leonardo Gottems

Uma nutritiva variedade de painço, ou milhete, que é cultivada principalmente na África Ocidental poderia ser geneticamente melhorada para a agricultura em grande escala na Arábia Saudita. Cientistas desse país já identificaram os genes-chave que podem ser modificados com a edição de genes. 

Uma safra de milho africano poderia ser melhorada para crescimento nas terras áridas e secas da Arábia Saudita usando informações sobre seu genoma. O milheto fonio já está bem adaptado a este ambiente, mas não foi tão domesticado como as principais culturas de cereais, como trigo, arroz e milho. A seleção do gene pode levar a rendimentos mais altos e grãos maiores. 

"A Península Arábica abriga 80 milhões de pessoas e precisa importar 90% de seus alimentos", disse Simon Krattinger, cientista vegetal da Universidade de Ciência e Tecnologia Abdullah (KAUST), que liderou o estudo. “As principais safras de cereais que fornecem 50% de nossas calorias diárias não podem ser cultivadas de forma sustentável nesta região devido à falta de água potável, solos pobres e altas temperaturas”, completou. 

“Fonio é uma planta incrível e nutritiva que se desenvolve em regiões quentes e secas com solos pobres. Nosso objetivo de longo prazo é melhorar o milho fonio, mantendo suas propriedades extraordinárias”, explica Krattinger. Os pesquisadores do KAUST, com uma equipe internacional de cientistas, analisaram os genomas de plantas de milheto fonio domesticadas e selvagens de toda a África e depois os compararam com os genomas de outras grandes safras de cereais. 

As análises encontraram dois genes que foram selecionados em fonio. Um desses dois genes, chamado DeGs5-3A, é muito semelhante a um gene do arroz que regula a largura e o peso do grão. Ele mostrou uma perda completa de diversidade no fonio domesticado, sugerindo que as plantas com esse gene ativo haviam sido selecionadas artificialmente para seus grãos maiores. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink