Milho: B3 sobe em leves altas
CI
Imagem: Marcel Oliveira
COTAÇÕES

Milho: B3 sobe em leves altas

Em Chicago, o milho fechou em alta por fundamentos altistas na América do Sul
Por: -Leonardo Gottems

O milho da B3 subiu em leves altas, com vencimento em março beirando os R$ 100,00 por saca, de acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “O início de semana foi de novas altas no milho, com destaques às posições de médio prazo, mais suscetíveis à falta de abastecimento interno, haja visto a passagem do milho verão e aguardo do milho safrinha, cujas primeiras colheitas  devem se iniciar somente em  junho”, comenta. 

“Nesse  sentido,  o  vencimento  de março,  negociado  na  sexta  a  valores  de  R$  97,60, fechou  o  dia  de  hoje  valendo  R$  98,15,  e  se aproximando dos  R$  100,00  por  saca. Para  analistas, há espaço para mais ganhos na commodity, que pode ser  impulsionado  caso  o  relatório do  USDA,  previsto para quinta (13), venha com estoques de milho norte-americanos abaixo de 1,4 bilhões de bushels, ou 33,3 milhões  de  toneladas,  o  que  deve  elevar  a  pressão mundial pela demanda de milho.  No  fechamento  do  dia,  as cotações apresentaram-se da seguinte maneira: o vencimento janeiro/22 foi cotado à R$ 94,30 (+0,11%); março/22 fechou o dia a R$ 98,15 (+0,56%); maio/22 foi negociado a R$ 94,24 (+0,60%) e o julho/22 teve fechamento de R$ 90,65 (+0,95%)”, comenta. 

Em Chicago, o milho fechou em alta por fundamentos altistas na América do Sul. “A  cotação  do  milho  para  março22 fechou em nova alta de 0,46% ou 2,75 cents/bushel a $  606,50.  A  cotação  de  julho22,  importante  para  as exportações  brasileiras,  fechou  também  em  alta  de 0,29% ou $ 1,75 cents/bushel a $ 604,0”, indica. 

“O  México  reservou  132  mil toneladas  de  milho  por  meio  de  uma  grande  venda privada. Do total, 77kMT são para entrega em 21/22 e os restantes 55kMT para entrega em 23/22. O  relatório  semanal  de  Inspeções  de  Exportação mostrou que 1.023 MT de milho foram embarcados na semana  que  terminou  em  6/1,  acima  de  759.563  MT na  semana  passada,  mas  ainda  abaixo da  mesma semana do ano  passado.  México  e  China foram  os  principais destinos  da  semana.  O  USDA  também  adicionou  163.478  toneladas  de  exportações  de  milho  aos  relatórios anteriores, elevando o total da temporada para 14.084 milhões de toneladas. O ritmo do ano passado foi de 16,56 MMT em 1/7”, conclui.  


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.