Milho: Boas perspectivas em MT
CI
Agronegócio

Milho: Boas perspectivas em MT

Cadência das chuvas será determinante daqui para frente ao estabelecimento do grão
Por:
Cadência das chuvas será determinante daqui para frente ao estabelecimento das lavouras de soja, bem como ao grão

Com o início antecipado do plantio de soja nesta safra 2012/13, dez dias em relação ao mesmo período do ciclo anterior, as expectativas para semeadura do milho, como cultura de segunda safra em Mato Grosso, a partir de janeiro, são boas até o momento. A região que mais concentra a produção do cereal, o médio norte, é a mais adiantada. O ritmo das plantadeiras está 6,44 pontos percentuais (p.p.) acima do observado em igual período do ano passado. A região deverá cobrir 3 milhões de hectares (ha), volume que abriga em 100% os mais de 2,91 milhões ha projetados ao cereal.


A cadência das chuvas será determinante daqui para frente para o estabelecimento das lavouras de soja, bem como ao cenário que será preparado ao milho em meados de 2013.

Tradicionalmente, pouco mais de um terço da área destinada à soja é cultivada de forma precoce porque é esta mesma superfície que irá abrigar o milho. O cultivo de variedades de ciclo curto no médio norte mato-grossense visa à realização de duas safras em um mesmo ciclo e por isso na medida em que as colheitadeiras vão extraindo a oleaginosa - de meados de janeiro em diante - plantadeiras voltam à ação semeando o milho, cuja janela ideal de plantio se encerra no final de fevereiro. Por isso, o ritmo de desenvolvimento das lavouras precoces de soja no Estado é acompanhado de perto pelos produtores.

Como frisa o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), por meio do seu Boletim Semanal do Milho, divulgado ontem, até o momento o cenário permite projeções positivas ao cereal. “Na safra passada, o plantio de soja no mesmo período de 2011 estava 3 pontos percentuais menor e o início do plantio do milho se consolidou no dia 26 de janeiro de 2012 com 3%. Sendo assim, com a antecipação de cerca de uma semana na média geral do Estado, esta consolidação dos trabalhos para o milho pode se dar na semana do dia 17 de janeiro”, projeta.


Mesmo assim, o Imea chama à atenção para o fator climático. “Como é ano de El Niño. Da mesma forma que as chuvas deverão se iniciar mais cedo, terminarão mais cedo também, ao contrário do observado neste ano, quando as precipitações foram registradas até junho, volume que favoreceram imensamente a última safra estadual de milho”. Em função do El Niño, o Imea frisa que a janela do plantio deverá ser a mesma, não tranquilizando o produtor quanto ao prazo desta operação.

Ontem, junto ao Boletim, o Imea divulgou mais uma estimativa de safra, a terceira ao grão, onde mantém as projeções já trabalhadas anteriormente. “De qualquer forma, independentemente do peso do fator clima, estão mantidos a cobertura de 2,91 milhões ha, produtividade de 80 sacas, sendo a terceira melhor da série histórica do órgão e produção de 13,89 milhões de toneladas”.


MENOR - Todos os números, exceto a cobertura espacial, estão aquém do registrado na safra 2012, altamente beneficiada pela pelo clima, como também pelos investimentos que os produtores fizeram na adoção de pacotes tecnológicos de qualidade. A safra encerrada no mês passado produziu média de 104 sacas/ha, totalizando mais de 15,58 milhões t, o que comparado à estimativa para 2013, renderá retrações de 23,3% em produtividade e de 10,8%, em produção, respectivamente. Em área, há avanço de 16,4%, de 2,50 milhões para 2,91 milhões ha.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink