Milho/CEPEA: Apesar da baixa liquidez, novas regiões passam a ter altas

Agronegócio

Milho/CEPEA: Apesar da baixa liquidez, novas regiões passam a ter altas

Aos poucos, aumenta o número de regiões brasileiras onde os preços do milho voltam a subir
Por:
685 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Aos poucos, aumenta o número de regiões brasileiras onde os preços do milho voltam a subir, de acordo com levantamentos do Cepea. Esse movimento é estimulado ainda pelos reajustes ocorridos nos portos na segunda quinzena de setembro e primeira semana de outubro. Compradores e vendedores, porém, não têm se motivado a negociar. Nos últimos dias, produtores da maior parte das regiões consultadas pelo Cepea sinalizaram não ter necessidade imediata de caixa, ao mesmo tempo em que apostavam em reação da demanda para a alimentação de animais neste último trimestre de 2012. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa, que representa negócios no segmento de lotes na região de Campinas (SP), subiu 1,66% entre 8 e 15 de outubro, fechando a R$ 31,22/saca de 60 kg nessa segunda-feira. Se considerada a taxa de desconto NPR na região de Campinas, o preço médio à vista foi de R$ 30,72/sc de 60 kg na segunda, alta de 1,4% no mesmo período.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink