Milho exportação se diferencia nos direcionamentos
CI
Imagem: Pixabay
ESTIMATIVA

Milho exportação se diferencia nos direcionamentos

A colheita de milho paraguaio teve três dias de pouco progresso
Por: -Leonardo Gottems

Os preços do milho para exportação tiveram direcionamentos diferentes nesta quinta-feira no Brasil, de acordo com informações da TF Agroeconômica. “Os preços FOB do milho brasileiro tiveram um direcionamento errático nesta quinta-feira. Agosto ainda manteve US$ 293, mas setembro caiu forte para US$ 274, outubro manteve US$ 298, novembro manteve US$ 284 e dezembro subiu para US$ 288/tonelada”, comenta.

Na Argentina o preço subiu para agosto, caiu para setembro e subiu para outubro. “As altas da cotação do milho em Chicago e queda dos prêmios na Argentina levaram os preços dos navios Handysize para cima: agosto caiu para US$ 260, setembro subiu para US$ 262 e outubro, novembro e dezembro não foram cotados. Para safra nova, março23 também não houve cotação, mas abril foi cotado a US$ 257/t Para os navios Panamax, os preços subiram para US$ 270 agosto”, indica.

A colheita de milho paraguaio teve três dias de pouco progresso a uma taxa de chuvas em algumas regiões, principalmente no Alto Paraná, Caaguazú e Itapúa. “Algumas lavouras de milho paraguaio foram atacadas por giberela. Como os grãos permanecem duros, são debulhados junto com os sadios e misturam tudo. Corretores e fornecedores estão fazendo o máximo empenho em segregar estes lotes para fornecer produto de qualidade”, completa.

“Com os recentes recuos nos preços, embora a base tenha melhorado, o mercado FAS voltou a perder competitividade frente aos valores apresentados pelos compradores no Brasil, o que vem levando à realização de pequenos negócios, por diferentes períodos de tempo de entrega. A indústria local, principalmente a que se dedica à produção de álcool, está aberta à compra de produtos de qualidade inferior, dados os problemas que diversas regiões vêm apresentando, e está conseguindo fazer alguns negócios com o devido desconto”, conclui.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.